Tamanho do texto

Investidores e instituições financeiras alegaram prejuízos de mais de US$ 500 milhões em ações do Facebook que não queriam comprar, não podiam vender ou tiveram de aceitar de volta de clientes irritados

Agência Estado

Robert Greifeld, CEO da Nasdaq OMX, disse ontem que a "arrogância" e o "excesso de confiança" entre os funcionários da bolsa de valores eletrônica contribuíram para os problemas com a oferta pública inicial (IPO) do Facebook no mês passado.

Nasdaq joga duro com clientes insatisfeitos sobre Facebook

Quem sai ganhando com o IPO do Facebook

Em uma conferência de diretores corporativos na Escola de Direito da Universidade de Stanford, Greifeld afirmou que a Nasdaq havia testado seus sistemas exaustivamente antes da IPO de 18 de maio, simulando maiores volumes de negociações do que realmente ocorreram. Porém, a Nasdaq estava despreparada para o crescente número de pedidos de cancelamento nas horas que antecederam a estreia do Facebook.

Os problemas da Nasdaq causaram um atraso de 30 minutos no início da negociação do Facebook. Quando as ações foram abertas, os investidores disseram que tiveram dificuldades para completar e cancelar os pedidos.

Ao todo, investidores e instituições financeiras alegaram prejuízos de mais de US$ 500 milhões em ações do Facebook que não queriam comprar, não podiam vender ou tiveram de aceitar de volta de clientes irritados.

Para analistas, a falha na IPO feriu a confiança dos investidores no mercado acionário. Na sexta-feira, os papéis do Facebook eram negociados a US$ 33,02, queda de 13% da IPO de US$ 38. Greifeld disse que o sistema de pedidos da Nasdaq havia trabalhado com sucesso 480 IPOs nos últimos cinco anos, mas não estava preparado para as correntes cruzadas em torno da IPO do Facebook, uma das maiores de todos os tempos. "O teste não deu conta do crescente volume de cancelamentos que poderiam entrar," justificou. As informações são da Dow Jones.

    Leia tudo sobre: Facebook
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.