Tamanho do texto

Avaliação considera que a maior produtora brasileira de papel possui elevados níveis de liquidez, modestos patamares de alavancagem e uma forte geração de caixa

A agência de classificação de risco Fitch Ratings atribuiu a classificação BBB- para a nota de probabilidade de inadimplência do emissor (IDR, na sigla em inglês) da Klabin, em moeda local e estrangeira. A perspectiva é estável.

A avaliação considera que a maior produtora brasileira de papel possui elevados níveis de liquidez, modestos patamares de alavancagem e uma forte geração de caixa. Além de grandes reservas de florestas, que proporcionam um baixo custo de produção, as operações da Klabin são bastante integradas, o que favorece a avaliação da agência.

Ao concentrar desde a fabricação da matéria-prima até o produto final, a empresa "melhora a flexibilidade da produção na competitiva, mas fragmentada, indústria de embalagens", avalia a agência. Por outro lado, ainda há incertezas sobre os projetos futuros para produção de celulose e as perspectivas de que poderiam ser desenvolvidos em meio a uma baixa prolongada de preços.

Outras restrições ao crédito incluem a volatilidade dos resultados na indústria de papel e embalagem, assim como a vulnerabilidade da companhia à alta do real em comparação ao dólar, por ser uma grande exportadora. Os principais fatores que poderiam alterar negativamente a nota de crédito seriam a piora da liquidez ou da alavancagem. Já uma ação positiva não deve acontecer até que o novo projeto de produção de celulose torne-se operacional e o consequente endividamento trazido por ele seja diminuído.

"A manutenção de uma forte posição de liquidez e o compromisso com níveis conservadores de alavancagem durante um período de baixo investimento são cruciais para um possível aumento ou mudança na perspectiva para positiva, assim como uma melhora nas estimativas para a economia brasileira", conclui a Fitch.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.