Tamanho do texto

Administradora informou que iniciará a amortização dos ativos em regime de caixa e o pagamento aos cotistas será realizado todo dia 15 de cada mês

Os cotistas do Fundo de Investimento em Direitos Creditórios (FIDC) BCSul Verax Crédito Consignado II, que tem como lastro créditos originados pelo banco Cruzeiro do Sul, aprovaram a liquidação da carteira em assembleia realizada na última sexta-feira. Conforme previsto no regulamento, a liquidação do fundo foi acionada após a instauração de Regime de Administração Especial Temporária (Raet) no banco no dia 4 de junho.

MaisCruzeiro do Sul vendeu R$ 115 milhões em ações pouco antes de intervenção

A administradora informou que iniciará a amortização dos ativos em regime de caixa e o pagamento aos cotistas será realizado todo dia 15 de cada mês, proporcionalmente à participação de cada um no fundo. Em maio, o fundo contava com patrimônio líquido de R$ 285,017 milhões, e tinha a carteira concentrada basicamente em crédito consignado originado pelo Cruzeiro do Sul.

 Os créditos em atraso respondiam por 5,74% do portfólio e somavam em maio R$ 16,422 milhões. O fundo ainda conta com grande participação de cotas subordinadas, que ficam com o próprio Cruzeiro do Sul. Tais cotas respondiam por 41,9% da carteira em março. São as primeiras a absorver as perdas em caso de inadimplência.

TambémBMG, Bonsucesso e Paraná Banco são os mais afetados por caso Cruzeiro do Sul

Intervenção

O banco Cruzeiro do Sul sofreu uma intervenção do Banco Central em Regime de Administração Especial Temporária devido à existência de inconsistências contábeis em seu balanço. O rombo gira em torno de R$ 1,3 bilhão. Os executivos da administração do banco foram afastados e a gestão foi assumida pelo Fundo Garantidor de Créditos (FGC) pelo prazo de até 180 dias. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.