Tamanho do texto

Por volta de 10h25, a moeda americana recuava 0,53%; no mercado futuro, o contrato para julho mostrava queda de 0,46%

O dólar comercial caía na manhã desta sexta-feira, um dia após o governo ter reduzido de cinco para dois anos o prazo dos empréstimos externos sujeitos à alíquota de 6% do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

A medida em si teve impacto moderado sobre as cotações, mas serviu para alimentar perspectivas de que o governo da presidente Dilma Rousseff revogue outras ações que visaram desvalorizar o real, como o IOF sobre posições vendidas em derivativos cambiais . Por volta de 10h25, a moeda americana recuava 0,53% e era negociada a R$ 2,047. No mercado futuro, o contrato para julho mostrava queda de 0,46%, a R$ 2,054.

TambémBolsas europeias sobem nesta sexta-feira; mercados asiáticos fecham em alta

Nesta sessão, o radar do mercado deve também ficar voltado para o noticiário em torno de possíveis ações coordenadas de estímulo entre os principais bancos centrais globais , conforme noticiado ontem. Até agora, no entanto, essa expectativa parece não contagiar o mercado de moedas e o dólar operava praticamente estável ante uma cesta de divisas.

Na Bolsa de Mercadorias & Futuros (BM&F), as projeções de juros avançavam. Investidores analisam o índice de atividade divulgado pelo Banco Central (IBC-Br). O indicador avançou 0,22% em abril sobre março e o BC promoveu uma série de revisões em dados anteriores.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.