Tamanho do texto

Dados fracos sobre a produção industrial da zona do euro e as vendas no varejo dos Estados Unidos pesaram sobre as bolsas

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em baixa após uma sessão volátil. Dados fracos sobre a produção industrial da zona do euro e as vendas no varejo dos EUA pesaram sobre as bolsas, além da cautela com relação à crise europeia e às eleições na Grécia no domingo. Na ponta positiva, as ações da Inditex dispararam 11,6% na Bolsa de Madri após bons resultados trimestrais, o que ajudou a sustentar o índice Ibex-35.

O índice Stoxx Europe 600 fechou com queda de 0,4%, aos 242,56 pontos. A produção industrial da zona do euro caiu 0,8% em abril, na comparação com março, para o nível mais baixo desde setembro de 2010. Nos EUA, as vendas no varejo diminuíram 0,2% em maio e a inflação ao produtor recuou 1%. Outro fator negativo hoje foi o leilão de 6,5 bilhões de euros em títulos de 12 meses da Itália, no qual o país pagou yield (retorno ao investidor) de 3,972%, bem acima de 2,340% no leilão anterior dos mesmos papéis.

MaisBarroso defende supervisão bancária integrada na UE

Se por um lado os indicadores negativos ampliam as preocupações econômicas, por outro alimentam as expectativas com novas medidas de estímulo pelos bancos centrais, o que ajudou a impedir maiores perdas nas bolsas. Além disso, os participantes dos mercados estão cautelosos e evitaram fazer grandes movimentos antes das eleições nacionais na Grécia.

"Alguns operadores estão dizendo que este será o maior fim de semana desde o Lehman (Brothers, que entrou em colapso em 2008) e eles podem estar certos", comentou Will Hedden, analista do IG Markets. Madri terminou o dia com alta de 1,42%, aos 6.615,30 pontos, sustentada pelas ações da Inditex, que anunciou aumento de 30% no lucro no primeiro trimestre deste ano , acima das expectativas dos analistas. A empresa é dona da rede de lojas de vestuário Zara e é uma das maiores companhias abertas da Espanha, junto com o Santander.

Londres teve alta de 0,18% no índice FTSE-100, para 5.483,81 pontos. A empresa de energia SSE subiu 2,1% depois de ter suas ações elevadas de "equalweight" para "overweight" pelo Barclays. Por outro lado, as mineradoras caíram: Xstrata fechou com -5,2% e Eurasian Natural Resources Corp. (ENRC) encerrou com -1,3%.

TambémConservadores gregos querem renegociar resgate se vencerem eleições

Na Alemanha, Siemens caiu 1,4%, pressionando o índice DAX, que encerrou em baixa de 0,14%, aos 6.152,49 pontos. As montadoras também perderam força hoje, com Daimler recuando 2,1%, Volkswagen cedendo 1,8% e BMW declinando 1,3%. O índice CAC-40 da Bolsa de Paris fechou com queda de 0,55%, aos 3.030,04 pontos. A empresa de energia e transporte Alstom perdeu 5,0%, enquanto Schneider Electric caiu 5,1%.

Fora do índice CAC-40, as ações da Establissements Maurel & Prom saltaram 17,7% após relatos de que a Royal Dutch Shell estaria interessada em comprar o grupo francês. O FTSE-MIB perdeu 0,65%, para 12.894,80 pontos, em um dia de poucos negócios. Banca Monte dei Paschi di Siena caiu 4,0% e Fiat cedeu 2,5%. Na Bolsa de Lisboa o índice PSI-20 caiu 1,64%, para 4.408,73 pontos, e em Atenas o índice ASE composto fechou em alta de 2,1% nesta quarta-feira, a 499,56 pontos. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.