Tamanho do texto

De acordo com Arno Augustin, governo está tranquilo em atingir os 3,1% do PIB

O secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin, disse nesta terça-feira, na Comissão de Orçamento do Congresso, não ter dúvida de que setor público cumprirá a meta de superávit em 2012. "Temos tranquilidade sobre isso. Mesmo com medidas anticíclicas que o governo já adotou e vai adotar". A previsão do governo é ter superávit primário de 3,1% do Produto Interno Bruto (PIB) - ou R$ 139,8 bilhões.

Leia também:  Se brasileiro poupar 1% a mais, PIB cresce em R$ 7,5 bilhões, estima Bird

Augustin disse ainda estar "tranquilo" porque o resultado obtido no primeiro quadrimestre de 2012 ficou apenas R$ 1,5 bilhão abaixo da meta fixada até o segundo quadrimestre. "Fica evidente que as condições de obtenção do primário este ano estão colocadas de forma muita clara." O cumprimento da meta será possível, segundo ele, mesmo com as medidas de desoneração tributária adotadas pelo governo e com aquelas que o governo ainda vai adotar para que a economia brasileira possa reagir aos efeitos da crise internacional.

A avaliação do governo é que a crise não mostra sinais de uma solução no curto prazo. "Não podemos sinalizar que a crise não tenha profundidade", disse Augustin. "Olhamos com preocupação para a Europa, mas olhamos com otimismo para o impacto dessa crise sobre a economia brasileira." Na avaliação de Augustin o efeito da crise sobre o Brasil será menor agora do que aquele verificado entre 2008 e 2009, quando estourou a crise financeira global depois da quebra do banco americano Lehman Brothers.

"Precisamos fazer a nossa parte para que a economia reaja a essa crise. E a nossa parte é aumentar os investimentos públicos." Arno Augustin também disse que o governo trabalha para aumentar os investimentos. E garantiu que não haverá contingenciamento dos recursos destinados às obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.