Tamanho do texto

Aos menos 18 bancos da Espanha tiveram as notas de suas dívidas de longo prazo rebaixadas pela agência de classificação de risco

A agência de medição de riscos Fitch aplicou nesta terça-feira uma baixa em massa na qualificação da dívida de longo prazo de 18 bancos espanhóis, depois que cortou ontem em dois graus a classificação dos dois maiores grupos, o BBVA e o Santander.

Leia também: Espanha é rebaixada para nível do Brasil em avaliação da Fitch

Em comunicado, a empresa justifica sua decisão com a própria redução da qualificação da Espanha na semana passada, e com a possível deterioração da bolsa de crédito de alguns bancos, caso a situação econômica piore.

"É particularmente certo para aqueles bancos cuja bolsa de crédito está muito exposta aos setores da construção e imobiliário, e aos que têm uma base fraca de capital", divulgou a Fitch. Com os rebaixamentos generalizados, a dívida de longo prazo de Banco Popular, grupo BMN, Liberbank, Banco Castilla La Mancha, Unicaja e Cajamar ficaram com uma qualificação baixa, a um passo do "bônus lixo" (BBB-).

A qualificação do Banco Popular se manteve em perspectiva negativa e a Fitch ameaça voltar a diminuir as classificações de BMN, Liberbank e o Banco Castilla La Mancha, já que as três entidades estão sob vigilância. Com "BBB", qualificação similar à da dívida de longo prazo da Espanha, ficaram CaixaBank, La Caixa, Banca Cívica, Bankia, Banco Sabadell, Banco Guipuzcoano, Ceca, Banco Cooperativo, KutxaBank, BBK Bank CajaSur, Caja Laboral e o grupo cooperativo Ibérico. De todas as entidades, as que sofreram maior corte por parte da Fitch, de dois graus, foram CaixaBank e La Caixa; KutxaBank e BBK Bank CajaSur. EFE mbr-pgp/tr-rsd

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.