Tamanho do texto

Encerramento do procedimento de bookbuilding e a fixação do preço por ação ocorrerá no dia 27; início da negociação dos papéis na BM&FBovespa está previsto para o dia 29

A Suzano Papel e Celulose, segunda maior produtora mundial de celulose branqueada de eucalipto, inicia nesta segunda-feira sua oferta pública subsequente de ações, que pode movimentar R$ 1,21 bilhão na emissão de papéis preferenciais.

O cálculo considera a cotação das ações preferenciais de classes A, de R$ 4,87 da sexta-feira (8) e B, de R$ 15,45 de 31 de janeiro, última cotação disponível, além da colocação dos lotes adicional e suplementar. Mas não leva em cota a emissão de papéis ordinários da companhia, que não estão em circulação no mercado e cuja oferta também está prevista.

A empresa lançará até 250,1 milhões de papéis preferenciais classe A (PNA), 14,7 mil preferenciais classe B e 119,6 milhões de ordinárias, considerando os lotes suplementar de 9,5%, referente aos papéis PNA, e adicional de 20%.

A Suzano informou, porém, que há chances de a oferta ser apenas prioritária, voltada somente aos acionistas, sem considerar o lote suplementar, e, com isso, não ser aberta ao mercado.

O grupo controlador terá prioridade para subscrever as ações a serem emitidas de acordo com a proporção determinada pela participação de cada um no dia 18 de maio, ajustada em 22 de junho.

A Suzano Holding, a IPLF Holding e a David Feffer, além de outros acionistas do grupo controlador, já manifestaram intenção de subscrever todas as ações que têm direito, de acordo com a companhia.

A Suzano Holding informou ainda o interesse de subscrever as sobras das ações na oferta. A oferta subsequente será primária, em que os recursos vão para o caixa da companhia. Depois do direito de prioridade dos acionistas, caso a totalidade não seja subscrita, será realizada a oferta para o varejo (direcionada aos investidores não institucionais) e, posteriormente, para o segmento institucional (colocação pública junto aos investidores institucionais).

O valor por ação será fixado após a conclusão do procedimento de coleta de intenções de investimento e terá como parâmetro as indicações de interesse em função da qualidade e quantidade da demanda e a cotação das ações PNA.

O encerramento do procedimento de bookbuilding e a fixação do preço por ação ocorrerá no dia 27. O início da negociação dos papéis na BM&FBovespa está previsto para o dia 29, com a liquidação das ações em 3 de julho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.