Tamanho do texto

Edemir Pinto acha que resgate espanhol vai ter efeito no futuro e deve abrir janela de IPOs no Brasil no segundo semestre

A bolsa brasileira deve ter um comportamento mais calmo após a Europa ter dado um passo no sentido de resgatar os bancos espanhóis, segundo Edemir Pinto, presidente da BM&FBovespa. "A notícia do final de semana colocou mais esperança de uma nova linha para os bancos europeus se revitalizarem. Com isso, o mercado abriu mais calmo nesta segunda-feira. A partir de agora, tudo vai depender do prazo que as soluções serão implementadas", afirmou o executivo nesta manhã.

LeiaFitch calcula que Espanha pedirá 60 bi de euros em ajuda da União Europeia

Sobre o desempenho da bolsa brasileira, que teve no mês passado o pior maio desde 1998 , Edemir disse que isso é "o preço que pagamos pela liquidez sempre acima da média". Segundo o executivo, a bolsa brasileira tem concentração em alguns papéis, o que é positivo por um lado, mas negativo por outro. "Em momentos mais tensos, quando o investidor decide zerar suas posições, ele zera primeiro aqui no Brasil, e ignora os bons fundamentos brasileiros. Por isso tivemos um desempenho ruim no mês passado."

Mais : Fórmula 1 prepara oferta inicial de ações de US$ 3 bilhões

Na visão dele, o pacote para o resgate da Espanha deve ter um efeito no futuro, e o investidor verá um cenário mais claro a partir dessa solução. Edemir acredita que o novo quadro europeu pode destravar o mercado de ações e abrir a janela para a volta dos IPOs. "Quando se tem uma clareza maior para o futuro, tudo se destrava. Internamente, não temos nenhuma barreira que possa dificultar a vinda das empresas ao mercado e dos investidores. O Brasil está com fundamentos espetaculares. A inflação, por exemplo, veio abaixo do que se imaginava," afirmou o executivo.

Na opinião dele, a partir de julho devemos ter novas ofertas no Brasil. Ele adianta que as primeiras devem ser do setor de consumo, com dois IPOs que já estão prontos para serem realizados, e do setor de petróleo e gás, com mais dois. "É provável que essas ofertas aconteçam no segundo semestre", completa. Na opinião dele, as férias do hemisfério norte não devem atrapalhar as ofertas brasileiras.

TambémPara UE, ajuda a bancos espanhóis é mensagem de segurança ao mercado

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.