Tamanho do texto

Presidente do Banco Central se diz confiante no recudo da inflação para liberar mais dinheiro ao consumidor e indica spread menor

Tombini vê inflação a caminho da meta
AE
Tombini vê inflação a caminho da meta

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, afirmou nesta terça-feira (5) que espera uma queda na taxa de inflação no segundo semestre. “O recuo ao longo do ano vai ser mais sentido no segundo semestre”, disse, durante audiência pública da Comissão Mista de Planos, Orçamentos Públicos e Fiscalização da Câmara dos Deputados.

Leia também:  Crédito para compra de veículo tem inadimplência recorde

Segundo Tombini, os quatro meses posteriores a picos de inadimplência resulta em uma “safra de crédito de mais qualidade”. A mudança teria sido identificada pelo BC entre julho e setembro de 2011.

O presidente do BC indicou ainda o recuo da inflação como mecanismo natural para ajudar na queda da inadimplência. “A queda da inflação também é importante porque permite ao trabalhador manter um nível maior de pagamentos”, avaliou.

Juros em queda

De acordo com o Banco Central, o spread bancários (diferença entre custo de capitação de recursos e empréstimos concedidos pelos bancos) está caindo após o aperto dado pelo Planalto para as instituições privadas diminuírem os juros. “O sistema de crédito continua moderado, mas começamos a ver uma redução nos spreads.”

O Banco Central registra queda de três pontos percentuais no spread para pessoa física entre janeiro e maio deste ano, com taxas caindo de 34,9% para 31,8%. Já para as empresas, o recuo apresentado pelo Banco Central foi de 1,6 ponto percentual, passando de 18,5% para 16,9%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.