Tamanho do texto

Bolsa foi influenciada pela alta das ações da Petrobras, mas ganho só não foi maior em razão da queda dos papéis da Vale

A Bovespa conseguiu encerrar esta segunda-feira no terreno positivo, influenciada pela alta das ações da Petrobras. E o ganho só não foi maior em razão da queda dos papéis da Vale. Ajustes técnicos para impedirem que a Bolsa caísse abaixo dos 53 mil pontos também ajudaram a garantir o dia no azul.

O Ibovespa encerrou com leve valorização de 0,03%, aos 53.416,75 pontos. Na mínima, o índice atingiu 53.367 pontos (-0,07%) e, na máxima, 53.960 pontos (+1,04%). O giro financeiro ficou em R$ 5,074 bilhões, o menor desde 30 de abril (R$ 4,834 bilhões).

O diretor técnico da Apogeo Investimentos, Paulo Bittencourt, concorda que os 53 mil pontos são um forte suporte e que só deve ser rompido caso haja notícias negativas internas e externas. "O mercado cai com a notícia ruim, mas depois digere e tenta se recompor através de ajuste técnico", ponderou.

VejaFGC não descarta fraude no Cruzeiro do Sul

A Petrobras acompanhou a performance do petróleo no exterior e encerrou com ganho de 1,37% na ação ON e de 1,65% na PN. Na Nymex, o contrato da commodity com vencimento em julho subiu 0,90%, a US$ 83,98 o barril. Já Vale ON caiu 0,22% e PNA, -0,28%. O setor financeiro também registrou queda nesta segunda-feira. O índice financeiro (IFNC) encerrou com recuo de 0,92%. Bradesco (-0,71%), Itaú Unibanco (-1,50%), Banco do Brasil (-3,36%) e units do Santander (-1,81%).

Já os bancos pequenos e médios centraram a atenção dos investidores e tiveram um dia de volatilidade após o Banco Central intervir no Cruzeiro do Sul , conforme antecipou a Agência Estado no domingo. O banco, cuja negociação de ações foi suspensa, foi colocado sob o Regime de Administração Especial Temporária (Raet), o que significa que os controladores - a família Índio da Costa - serão afastados e a gestão será feita pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC), instituição criada com objetivo de proteger os depósitos dos clientes do sistema financeiro no País.

LeiaAções de bancos sustentam alta das bolsas na Europa

A intervenção levou os investidores a adotarem cautela. Vale lembrar que o setor financeiro hoje é muito mais protegido e o BC tem mecanismos para detectar muito mais rápido qualquer tipo de problema. "O Cruzeiro do Sul tem um estrutura menos robusta e impõe menos riscos. Mas diante da notícia, é natural que o investidor adote cautela até que tudo esteja mais claro", disse o operador de uma corretora.

Nos EUA, a queda do índice ISM de Nova York para 49,9 no mês passado, de 61,2 no mês anterior, fez as bolsas fecharem em direções distintas. O Dow Jones caiu 0,14%, o S&P 500 ficou praticamente estável (+0,01%) e o Nasdaq subiu 0,46%.

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.