Moeda americana encerrou o pregão com leve alta de 0,1%, cotada a R$ 2,017; no ano, valorização chega a quase 8%

O dólar fechou estável nesta quinta-feira, em reflexo dos números mais fracos do mercado de trabalho nos Estados Unidos e um dia após ter subido 1,51% graças à piora da percepção de risco no exterior. A moeda americana encerrou o pregão com leve alta de 0,1%, cotada a R$ 2,017. No mês, o dólar avançou 5,76% e, no ano, já acumula valorização de 7,9%.

Veja também:  Bovespa tem pior maio desde 1998

A alta da moeda americana deve-se a uma piora na percepção de risco no mundo, segundo Leandro Ruschel, diretor da Escola de Investidores Leandro Stormer. "O dólar geralmente tem um movimento contrário ao das bolsas. Quando os agentes econômicos estão mais otimistas e as perspectivas são mais positivas, gera-se uma alta na bolsa e queda no dólar", afirma.

E a crise europeia se agravou durante o mês, com rumores de que a Grécia poderia deixar a zona do euro caso o partido de esquerda Syriza, que defende o fim das políticas de austeridade , vença as eleições de junho.

LeiaBolsas europeias têm maior perda mensal em 9 meses

"Junto a isso temos o governo brasileiro tratando mal os investidores estrangeiros, com uma politica forte em empresas-chave, como Petrobras, Vale e os bancos. Isso afugenta o investidor estrangeiros", complementa o especialista. Segundo Stormer, a perspectiva para o próximo mês é que o dólar continue pressionado pelos eventos no exterior.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.