Tamanho do texto

SÃO PAULO - O bom desempenho das ações da Petrobras e Vale mantém a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) descolada da instabilidade externa, com setor financeiro influenciado a confiança dos investidores. Por volta das 13h15, o Ibovespa subia 0,77%, para 55.141 pontos, com giro financeiro em R$ 2,75 bilhões.

O analista da WinTrade, home broker da Alpes Corretora, Fausto Gouveia, considera que o destaque o dia fica com a Petrobras, que apresentou resultados que agradaram os investidores.

Ontem, a estatal reportou lucro líquido de R$ 8,783 bilhões para o segundo trimestre do ano, crescimento de 29% no comparativo anual. Em resposta, as ações PN da companhia apresentavam valorização de 2,50%, para R$ 33,52, e as ON avançavam 2,55%, para R$ 40,88.

Contribuindo para os ganhos de hoje, as ações da Vale também passam por recuperação. O papel PNA aumentava 1,32%, para R$ 35,07, enquanto o ON subia 1,56%, para R$ 40,78.

Atuando em direção contrária, o setor siderúrgico segue perdendo valor. Gerdau PN caía 2,31%, para R$ 28,24, CSN ON recuava 2,13%, para R$ 51,80, e Usiminas PNA declinava 0,69%, para R$ 57,25.

Deixando o dia-a-dia de lado, a piora de cenário externo, que já compromete o crescimento da economia mundial, e a fuga de investimentos da Bovespa, que já passou de R$ 15 bilhões desde junho, levaram a Alpes Corretora a rever sua estimativa de valorização para o Ibovespa em 2008. A previsão inicial de 85 mil pontos foi alterada para baixo em 15% e agora está em 72 mil pontos.

Fica muito difícil pensar em 85 mil pontos, como projetávamos anteriormente, com a bolsa partindo de 54.900 pontos. Mesmo assim, os 72 mil pontos também representam um bom potencial de alta , afirma.

Segundo Gouveia, a estimativa de 85 mil pontos embutia o grau de investimento, já recebida pelo país, e uma série de notícias positivas já absorvidas pelo mercado. Agora a bolsa sente mais a retração das commodities.

Para o analista, o preço das matérias-primas deve se estabilizar no atual patamar depois de uma queda muito rápida e acentuada. A questão, agora, é o dólar. Se a moeda norte-americana continuar ganhando valor, as commodities podem cair um pouco mais.

Ainda de acordo com Gouveia, devido à correlação do preço dos ativos com o Ibovespa, o preço-alvo das ações que compõem a carteira recomendada da corretora também foi revisto para baixo.

O preço-alvo para Petrobras PN caiu de R$ 62,00, preço estimado na carteira de junho que vinha sendo mantida até então, para R$ 46,80. Bradesco PN saiu de R$ 50,62 para R$ 38,00. Itaúsa PN recuou de R$ 14,20 para R$ 12,00. Bradespar PN foi revista de R$ 60,75 para R$ 42,50. E Usiminas PNA saiu de R$ 97,00 para R$ 75,00.

De volta ao âmbito corporativo, depois da acentuada baixa de ontem, a ação PNB da Cesp subia 5,46%, para R$ 27,40. JBS ON segue em recuperação, aumentando 4,41%, para R$ 7,33. Bom desempenho também para Rossi Residencial ON, que tinha elevação de 4,74%, para R$ 12,81.

No setor aéreo, as ações PN da Gol operavam com leve alta de 0,06%, a R$ 16,37. A companhia fechou o segundo trimestre com prejuízo de R$ 216,7 milhões, contra lucro líquido de R$ 157 milhões em igual período do ano passado.

Já a TAM teve ganho líquido de R$ 50,2 milhões entre abril e junho deste ano, revertendo perda de R$ 28,6 milhões um ano antes. Há pouco, a ação PN da companhia subia 1,79%, para R$ 34,61.

Em Wall Street, a leve alta do petróleo e novas indicações de problemas no setor financeiro estimulam uma realização de lucros. Há pouco, o Dow Jones perdia 0,62% e o Nasdaq caía 0,04%.

No câmbio, a moeda norte-americana segue ganhando valor ante o real. Há pouco, o dólar valia R$ 1,625 na venda, alta de 0,55%. Este é o sétimo dia consecutivo de alta da moeda estrangeira.

Leia também:

Leia mais sobre  Bovespa  - dólar

    Leia tudo sobre: bovespa
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.