Tamanho do texto

SÃO PAULO - Contrariando a sinalização externa, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira em território positivo. Depois de cair mais de 3% durante a manhã, um movimento de compra no final da sessão garantiu alta de 1,32%, para o Ibovespa, que fechou aos 37.

261 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 3,35 bilhões.

Em Wall Street, as vendas perderam força, mas com cerca de meia-hora para o encerramento, Dow Jones e Nasdaq ainda caíam 1,59% e 1,23%, respectivamente.

A mudança de sentimento na bolsa brasileira começou com as ações de algumas siderúrgicas e ganhou sustentação nos papéis da Vale e BM & FBovespa.

Ao final do pregão, o papel PN da Gerdau fechou o dia com alta de 6,29%, aos 14,85. CSN ON avançou 3,53%, para R$ 24,59. Já o papel ON da BM & FBovespa valorizou 5,38%, negociado a R$ 5,68. E o ativo PNA as Vale fechou a R$ 25,56, alta de 1,22%.

A ação PN da Petrobras, que liderou em volume negociado, não sustentou os ganhos e encerrou o dia com perda de 0,16%, aos R$ 23,91. Logo mais a empresa apresenta seus resultados do terceiro trimestre. Alguns analistas estimam lucro na casa dos R$ 10 bilhões.

Segundo o superintendente da Banif Corretora, Raffi Dokuzian, a puxada nas compras por aqui aconteceu no mesmo momento em que as perdas em Wall Street foram praticamente zeradas, pouco depois das 17 horas. Na máxima, o Ibovespa chegou a subir mais de 2%.

Ainda de acordo com o especialista, há uma expectativa grande quanto ao anúncio de um pacote de ajuda para o setor automotivo norte-americano. Algo que está sendo costurado pelo governo atual em conjunto com o presidente recém-eleito, Barack Obama.

Hoje, o governo dos EUA já anunciou novas medidas para facilitar a renegociação de financiamentos hipotecários pelas gigantes Fannie Mae e Freddie Mac. Pelo novo modelo, os juros poderão ser mais baixos e o prazo para pagamento alongado de 30 anos para 40 anos. Com isso, o governo pretende ajudar milhões de mutuários que podem perder suas casas.

O superintendente reforça, no entanto, que apesar de repiques de alta como esse, a bolsa brasileira continua à mercê do noticiário externo. " Segue o questionamento sobre quanto o mundo poderá crescer em 2009. "
Por outro lado, Dokuzian não deixa de chamar a atenção para o atrativo preço dos papéis brasileiros. " Não dá para esperar para acertar o fundo do poço. Pode demorar um pouco para a situação se estabilizar, mas é hora de começar a comprar. "
De volta ao âmbito corporativo, forte valorização para o ativo ON da JBS, que controla o frigorífico Friboi. O papel subiu 11,71%, para R$ 4,10. Bom desempenho também para os ativos da Eletrobrás. A ação ON subiu 10,51%, para R$ 26,70, e o ativo PNB aumentou 9,90%, para R$ 24,30. O governo acenou com a liberação de licença ambiental para a construção da hidrelétrica de Jirau, na qual a estatal tem participação.

Fora da recuperação, TAM PN perdeu 6,12%, para R$ 19,00. Gafisa ON recuou 6,04%, para R$ 10,25, e Lojas Renner ON, VCP ON e Nossa Caixa ON perderam mais de 5% cada.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.