Tamanho do texto

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) recuperou as perdas que registrava até o meio da tarde e teve o primeiro dia de alta em cinco pregões. Depois de cair mais de 2,5% pela manhã, as compras se acumularam no período da tarde e o Ibovespa fechou o dia com ganho de 1,03%, aos 51.939 pontos. O giro ficou em R$ 4,89 bilhões.

Apesar da alta, o índice encerra a semana com uma perda acumulada de 6,71%, pior desempenho semanal desde a primeira semana de julho. Em 2008, a queda do Ibovespa está em 18,7%. Desde os 73.516 registrados em 20 de maio (recorde de alta), a baixa é de 29,35%.

Nos Estados Unidos, as perdas também foram deixadas para trás e o Dow Jones fechou o dia com alta de 0,29%, apoiado no setor financeiro. Já a bolsa eletrônica Nasdaq caiu 0,14%.

A notícia do dia foi o relatório sobre o mercado de trabalho nos Estados Unidos. Segundo o Departamento de Trabalho daquele país, foram fechadas 84 mil vagas no mês passado, montante superior ao esperado e que renovou as preocupações com um ambiente recessivo, mesmo depois de a economia ter crescido mais de 3% durante o segundo trimestre.

Na avaliação do assessor de investimentos da Corretora Souza Barros, Luiz Roberto Monteiro, os investidores extrapolaram nas vendas depois da divulgação dos dados sobre o mercado de trabalho norte-americano. Com esse exagero na venda e o índice próximo dos 50 mil, entraram compradores e aconteceu essa correção de final do dia, resume.

No entanto, Monteiro ressalta que o movimento observado hoje é apenas uma correção técnica, o cenário continua o mesmo, de preocupação e incerteza.

Para o especialista, o que pode mudar nas próximas semanas é um desligamento dos movimentos de bolsa com as oscilações no preço das commodities. Segundo o assessor, os dados de crescimento econômico devem começar a ganhar mais peso.

Liderando a retomada, Petrobras PN ganhou 1,30%, para R$ 31,86, Vale PNA subiu 1,66%, para R$ 36,10, e BM & FBovespa ON avançou 2,36%, para R$ 10,80.

Destaque de alta para a ação PN da Duratex, que fechou a R$ 26,30, com avanço de 6,26%. Forte desempenho também para o setor de papel e celulose que ganhou recomendação de compra pela Merrill Lynch. O ativo PN da VCP teve alta de 5,49%, para R$ 36,50, e a ação PNB da Aracruz PNB ganhou 5,19%, para R$ 9,11.

Na ponta oposta, Cesp PNB liderou as perdas caindo 5,37%, para R$ 22,69. A estatal não teria conseguido estender as licenças de duas hidrelétricas para além de 2015, passo necessário para a privatização.

O papel ON do JBS, controlador do frigorífico Friboi, teve mais um pregão de baixa, recuando 4,47%, para R$ 5,34. A ação cai de forma acentuada desde que a Moody ? s alertou sobre a possibilidade de perda da classificação em função de uma das aquisições realizadas nos EUA.

Fora do índice, o papel ON da construtora Tenda continua com fortes oscilações. Depois de cair cerca de 30% nos últimos dois dias, o ativo apresentou alta de 22,09%, para R$ 3,15.

(Eduardo Campos | Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.