Tamanho do texto

SÃO PAULO - Seguindo a sinalização externa a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) começa o pregão com forte baixa. Por volta das 11h30, o Ibovespa desvalorizava 3,38%, a 34.

579 pontos, com giro financeiro em R$ 156 milhões.

Em Wall Street, os índices futuros também apontam para baixo, com os investidores mostrando descrença nas medidas propostas pelo G-20 durante o final de semana para tentar aplacar a crise econômica. Os líderes propuseram maior transparência e regulação das instituições financeiras e adotaram um discurso de maiores gastos e menores impostos para impulsionar a economia mundial.

Na Europa, a segunda-feira também é de perdas, com o índice FTSE-100, da Bolsa de Londres, recuando 1,56%, enquanto o Xetra-DAX, de Frankfurt, perdia 2,10%.

Reagindo à maior aversão ao risco, a moeda norte-americana ganha valor ante o real. Depois de cair mais de 4% na sexta-feira, há pouco, o dólar comercial era negociado a 2,306, com alta de 1,58%. No mercado futuro a alta é mais pronunciada, com o dólar para dezembro subindo 3,34%, para R$ 2,316.

Dentro do Ibovespa, os carros-chefe puxavam as perdas. Petrobras caía 3,56%, a R$ 20,01, Vale PNA desvalorizava 4,28%, a R$ 23,45, e BM & F Bovespa ON diminuía 4,13%, a R$ 4,87.

Nenhum dos 66 papéis que compõem o índice apresentava valorização. Quedas superiores a 6% eram verificadas nos ativos ON da Rossi, ON TIM, PN da TAM e PN da Brasil Telecom Part.

(Valor Online)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.