Tamanho do texto

Economia deve fechar o ano com expansão de 3,79%; projeção anterior para o PIB era de 3,84%

O mercado financeiro cortou sua previsão para o crescimento econômico brasileiro neste ano e o cenário para a taxa de juro no ano que vem, mostrou o relatório Focus divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira.

A estimativa para a alta do Produto Interno Bruto (PIB) de 2011 caiu pela quarta semana seguida, para 3,79% ante 3,84% na semana anterior. O prognóstico para o ano que vem também caiu, de 4% para 3,90%.

A projeção para a Selic neste ano ficou estável em 12,50%, e para 2012 caiu de 12,50% para 12,38%.

Recentemente, em meio à turbulência global decorrente de temores sobre a economia mundial, sobretudo a dos Estados Unidos, analistas veem vendo a possibilidade de um crescimento menor no Brasil, abrindo espaço para queda de juro em algum momento.

O Comitê de Política Monetária (Copom) reúne-se nesta semana, mas por ora deve manter a Selic nos atuais 12,50%, esperando para ver melhor os efeitos da crise no país.

O Focus mostrou ainda que a estimativa para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano passou de 6,28% para 6,31%, enquanto a do ano que vem permaneceu em 5,20%.

A meta do governo para a inflação nos dois anos tem centro em 4,5% e tolerância de dois pontos percentuais.

O prognóstico para o IPCA nos próximos 12 meses subiu de 5,43% para 5,47%.

A previsão para a taxa de câmbio no final deste ano permaneceu em R$ 1,60 por dólar. A projeção no final de 2012 foi mantida em R$ 1,65.