Tamanho do texto

Estimativa para IPCA no ano que vem subiu para 5,3%; para 2011, projeção foi mantida em 6,31%, segundo boletim Focus

O mercado manteve pela terceira semana consecutiva a projeção de inflação para este ano, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), prevendo avanço de 6,31%, segundo estimativa do boletim Focus, do Banco Central (BC), divulgado hoje.

A atual projeção manteve a expectativa de inflação para este no mesmo patamar das três últimas leituras do relatório do BC, mas ampliou, pela segunda vez consecutiva, a projeção de inflação para 2012, que ficou em 5,30%, contra 5,28% na semana passada.

Para os próximos 12 meses o mercado manteve a expectativa de inflação para 5,40%, freando o movimento de alta que foi verificado nas últimas seis divulgações anteriores à atual.

Já para o Índice Geral de Preços - Mercado (IGPM), a mediana das projeções para este ano aponta para 5,47%, o que representa o segundo avanço consecutivo das expectativas para este indicador, que indicavam 5,31% há uma semana.

As expectativas para o Índice de Preços ao Consumidor (IPC-Fipe) subiram pela sétima semana consecutiva, com projeção para 2011 é de 5,25%. No boletim anterior a expectativa para o indicador era de crescimento de 5,15% neste ano.

A mediana dos analistas consultados pelo BC ampliou a previsão para crescimento do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) para 5,44% para este ano, ligeiro avanço na comparação com o crescimento de 5,39% projetado para o indicador na semana passada.

Juros

O mercado manteve pela terceira semana consecutiva a projeção da taxa básica de juros (Selic) para este ano em 12,75%.

Câmbio

Para a taxa de câmbio houve manutenção nas previsões de R$ 1,60 para o fim do ano, pela sétima semana consecutiva. Para o próximo ano, os analistas consultados pelo BC esperam taxa a R$ 1,64, o que representa ligeira queda em relação à projeção de R$ 1,65 constante no último levantamento.

PIB

Já a expectativa para o Produto Interno Bruto (PIB) subiu para 3,96% neste ano, avançando na comparação com os 3,94% esperados para o indicador na leitura da semana passada, que se mantinha inalterado nas quatro divulgações anteriores.

Para o ano que vem os analistas consultados pelo BC estimam avanço de 4,00%, mesma projeção da última edição do relatório.