Tamanho do texto

Taxa básica de juro deve ficar em 12,50%; projeção anterior era de 12,75%, aponta boletim Focus

O mercado financeiro brasileiro reduziu sua previsão para a taxa de juro Selic neste ano, em meio à intensificação da crise global, de 12,75% na semana passada para 12,50%, segundo o relatório Focus divulgado pelo Banco Central nesta segunda-feira.

Na semana passada, temores sobre as crises de dívida da Europa e dos Estados Unidos levaram os mercados de ações mundiais às maiores quedas em anos. Nesta sessão, o movimento de vendas continuava, reagindo à notícia de sexta-feira de rebaixamento da nota de dívida norte-americana pela Standard & Poor's.

Os investidores temem uma volta à recessão da economia global. Isso poderia reduzir os preços das commodities, o que é uma boa notícia para a inflação brasileira. Além disso, o Banco Central tende a ser mais cauteloso em meio a uma crise, por isso a redução na estimativa do mercado para o juro.
O prognóstico para a Selic em 2012 foi mantido em 12,50%.

Foram reduzidas as previsões para a inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) deste ano --de 6,31 para 6,28%-- e do próximo --de 5,30 para 5,27%.

A meta do governo para a inflação nos dois anos tem centro em 4,5% e tolerância de dois pontos percentuais.

O prognóstico para a taxa nos próximos 12 meses, por outro lado, aumentou, de 5,40 para 5,42%.
A previsão para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011 teve leve queda, de 3,96 para 3,94%, enquanto o cenário para 2012 foi mantido em 4,00%.

O prognóstico para a taxa de câmbio no final deste ano permaneceu em R$ 1,60 por dólar. A projeção no final de 2012 foi mantida em R$ 1,65.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.