Tamanho do texto

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, afirmou hoje não temer mudanças na condução da política econômica e monetária em um próximo governo, independente de quem seja o presidente eleito

selo

O presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, afirmou hoje não temer mudanças na condução da política econômica e monetária em um próximo governo, independente de quem seja o presidente eleito. Meirelles se mostrou bastante cauteloso em tocar neste assunto e fez questão de dizer que não queria entrar no debate eleitoral, mas afirmou que tem falado com empresários e investidores em todo o mundo que, pela primeira vez na história do País, existe um apoio político da manutenção da estabilidade.

"Tenho dito no mundo todo que essa estabilidade gera benefícios para grande parte da população e é evidente, inclusive, o apoio e suporte político à estabilidade", disse Meirelles, que fez questão de destacar que sua fala tem caráter institucional, como presidente do Banco Central. "Agora, quanto à posição dos candidatos, cada um de vocês, como eu, pode ler nos jornais e saber quais são os compromissos de cada um."

Sobre investimentos externos, o presidente do BC disse que eles devem subir não só pelo crescimento porcentual do PIB brasileiro, mas porque as empresas globais já veem hoje o Brasil como núcleo estratégico nas suas programações de investimento. De acordo com Meirelles, o Brasil hoje é o segundo mercado mais atrativo em termos de investimento estrangeiro e já é o primeiro em alguns setores. Isso significa que, além dos investimentos estrangeiros diretos, há também os investimentos indiretos. "Tem fundos nos procurando para investir nas empresas, e não apenas naquelas listadas em bolsa", disse ele, para quem é preciso aumentar a segurança institucional no País.

Meirelles proferiu a palestra "Responsabilidade Macroeconômica para o Crescimento", na sede da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Fiep), em Curitiba.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.