Tamanho do texto

Por Catherine Bosley e Nick Vinocur LONDRES (Reuters) - Milhares de manifestantes se juntaram neste sábado para marchar em Londres e exigir ações sobre pobreza, empregos e mudanças climáticas no começo de uma semana de protestos antes do encontro do G20, na capital britânica.

Sindicatos trabalhistas, agências de ajuda humanitária, grupos religiosos e ambientalistas se juntaram sob o slogan "Ponham as Pessoas em Primeiro Lugar", para exortar os líderes mundiais, que se reúnem no dia 2 de abril, a discutirem as piores condições econômicas desde 1930.

A marcha ocorre contra um cenário de recessão global mais profunda e maior ira pública sobre pagamentos a banqueiros e os difíceis efeitos da crise.

Na Grã-Bretanha, o desemprego subiu para mais de dois milhões de pessoas, os preços das casas declinaram 11 por cento em um ano e a produção industrial registrou sua pior queda desde 1981.

"Este será um verão (inverno, no Brasil) de ira da classe trabalhadora", afirmou o manifestante Bryan Simpson, de 20 anos, que é de Glasgow. "As pessoas da classe trabalhadora pagarão o preço pelas dívidas dos bancos".

Enquanto alguns manifestantes adotaram slogans como "Enforque um banqueiro" e "Ataquem os bancos", os organizadores da marcha de Londres disseram que o evento seria pacífico.

"Não temos evidência de que algum dos participantes pretende romper com nossos planos, descumprir a lei ou cometer quaisquer atos de violência", afirmou Glen Tarman, chefe da organização.

(Texto de Peter Griffiths)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.