Tamanho do texto

Ministro da Fazenda desembarca na Fiesp na segunda-feira com novo pacote de estímulos ao setor que demitiu 19 mil em fevereiro

Após uma longa reunião com o primeiro pelotão empresarial em Brasília na última quinta-feira, incluindo pesos-pesados como Eike Batista , Jorge Gerdau e Luiz Trabucco (Bradesco), o ministro Guido Mantega (Fazenda) se reúne nesta segunda-feira com o Conselho Superior da Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp).

O conselho reúne alguns dos principais empresários do país e será para eles que Mantega deverá apresentar o plano de ação prometido pela presidenta Dilma Rousseff aos executivos com os quais se encontrou no Palácio do Planalto .

O governo prepara para abril um conjunto de incentivos ao setor produtivo, que ameaça reduzir investimentos. A taxa de expansão da capacidade de produção da indústria de transformação desenhada para o triênio 2012-2014 recuou para 21,7%, em relação à previsão anterior de 22,2% para os três anos terminados em 2013. É o mais baixo patamar desde o estimado para 2009-2011, conforme mostrou a sondagem industrial da Fundação Getúlio Vargas (FGV) na semana passada.

Leia também: Dilma propõe arranjo tributário para indústria sem contrapartidas

Medidas sem garantias
Mantega já adiantou que pretende reduzir o custo financeiro das empresas, mas não disse como. A expectativa é de que o ministro explique a medida em detalhes. Por ora, a Fazenda estendeu para todo o setor industrial a redução de 20% para 1,5% no recolhimento de INSS incidente sobre a folha de pagamento . Além de assegurar que o governo irá intervir no câmbio para brecar a valorização do Real ante o dólar.

Agora, a Fazenda trabalha em um novo conjunto de medidas para integrar ao Plano Brasil Maior, criado pelo Planalto no ano passado para estimular a economia. Espera-se que o novo pacote seja apresentado por Dilma na primeira semana de abril, logo após a páscoa.

Mas diferentemente de ações tomadas no auge da crise financeira entre 2009 e 2010, quando o Planalto reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para as montadoras e os fabricantes de eletrodomésticos, a Fazenda não colocou até agora a manutenção dos empregos como contrapartida ao empresariado.

Em fevereiro, a indústria nacional demitiu 19 mil trabalhadores, conforme medição da Pesquisa Mensal de Emprego (PME) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.