Tamanho do texto

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que as medidas de apoio ao setor exportador, que serão anunciadas amanhã, terão impacto imediato, porque irão baratear o custo para o exportador e dar mais competitividade. No entanto, ele lembrou que há neste momento um cenário difícil no comércio mundial, porque a maioria das economias não saiu da crise e está importando menos.

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou hoje que as medidas de apoio ao setor exportador, que serão anunciadas amanhã, terão impacto imediato, porque irão baratear o custo para o exportador e dar mais competitividade. No entanto, ele lembrou que há neste momento um cenário difícil no comércio mundial, porque a maioria das economias não saiu da crise e está importando menos.

O ministro disse que, por conta disso, não há como "enfiar" mercadoria brasileira em outros mercados, porque há limites. "Todo o mundo quer exportar. Então a concorrência fica mais difícil neste momento. Porém, isso não significa que você deve abandonar a luta", afirmou.

Mantega disse que é preciso dar condições cada vez melhores para o exportador, não só agora como no futuro. Ele ressaltou que as exportações cresceram 19% no primeiro trimestre de 2010 e avaliou que o câmbio está mais estabilizado. "Tem uma volatilidade menor do câmbio brasileiro desde que adotamos aplicação do IOF (Imposto sobre Operações Financeiras) para diminuir os excessos de entrada de capital estrangeiro", avaliou.

Segundo ele, o câmbio, desde a taxação, ficou num patamar razoável e diminuiu a volatilidade. "Acredito que vamos manter uma volatilidade menor no câmbio", afirmou. Mantega, no entanto, não quis antecipar nenhuma das medidas que serão anunciadas amanhã à tarde, durante a reunião do Grupo de Acompanhamento da Competitividade (GAC).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.