Tamanho do texto

Seminário da Secretaria de Assuntos Estratégicos hoje consolida dados para políticas públicas específicas a esse setor

A chamada nova classe média brasileira, que passou a ter renda per capita acima de R$ 1 mil são 31 milhões de pessoas que ascenderam nos últimos dez anos, até 2009, segundo levantamento da Secretaria de Assuntos Estratégicos (SAE), que promove hoje o seminário “Origens e desafios da nova classe média brasileira”, em Brasília, com a presença da presidenta Dilma Rousseff.

Ascensão social

Qual o tamanho da nova classe média e qual o espaço que ela ocupa na sociedade

Gerando gráfico...
Fonte: SAE


A SAE buscou consolidar conceitos e informações que são divulgados de forma desencontrada e variada segundo estudiosos do tema e diferentes órgãos do governo. Segundo a SAE, o número de pessoas na classe média atualmente é de 95 milhões de pessoas, que perfazem 52% da sociedade (em 1999 era apenas 40% da sociedade)

A compilação de informações sobre essa nova classe média pela SAE será usada agora como fonte básica de dados para o desenvolvimento de novas políticas públicas voltadas para essa categoria.

Meta é evitar recuo

Entre as metas definidas pela SAE com o estudo está evitar que os milhões de brasileiros que ascenderam de classe social nos últimos anos regridam nos próximos, por eventuais crises econômicas.

Com o estabelecimento de políticas setoriais específicas, o governo quer conhecer para criar sistemas que assegurem à nova classe média brasileira uma regressão em tamanho.

Segundo estudo do Centro de Políticas Sociais da FGV – um dos que serão apresentados no seminário de hoje – depois dos avanços acumulados nos últimos anos, é preciso “dar mercado aos pobres”, o que significa melhorar o acesso das pessoas ao mercado de trabalho. “O desafio é combinar as virtudes do Estado com as virtudes dos mercados, sem esquecer as falhas de cada um dos lados.”

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.