Tamanho do texto

Segundo pesquisa, quase 80% das empresas acham que seus profissionais são culpados por pelo menos uma violação de dados

Grande parte das empresas responsabiliza seus funcionários pelos ataques sofridos em suas redes, revela uma pesquisa da companhia de segurança Trend Micro nos Estados Unidos. Segundo o estudo, mais de 78% das empresas consultadas culpam as práticas de seus profissionais – intencionais ou não – por pelo menos uma violação de dados dentro de suas organizações nos últimos dois anos. Em contrapartida, quase 70% dos entrevistados apontam que as políticas atuais de segurança dessas corporações não são suficientes para impedir um ataque hacker.

A pesquisa foi realizada nos Estados Unidos, com a participação de 709 profissionais de tecnologia da informação (TI). Com um índice de 35%, a perda de dispositivos móveis por funcionários é a principal causa dessas violações. Em seguida, aparecem os acidentes ou estragos causados por terceiros, com 32%, e as falhas no sistema, com 29%.

Como fator agravante, 56% dos participantes afirmaram que a maioria dessas violações só é descoberta por acaso. Outros 37% disseram que uma auditoria revelou o incidente, enquanto 36% dos casos foram descobertos por meio de tecnologias de proteção de dados.

O levantamento ressalta que os riscos são maiores no plano das pequenas e médias empresas, com até 100 funcionários. A taxa de violação é ligeiramente maior nesse segmento, de 81%, contra um índice geral de 78%. Segundo a pesquisa, os profissionais dessas companhias estão mais propensos a adotar comportamentos arriscados. Cerca de 58% deles abririam ou já abriram anexos ou links em spams (mensagens indesejadas), ante 39% de seus correspondentes em grandes empresas. Ao mesmo tempo, 55% dos funcionários das companhias de menor porte têm maior probabilidade de visitar sites proibidos, contra 43% das grandes corporações.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.