Tamanho do texto

Por Sergio Goncalves LISBOA (Reuters) - Um consórcio português está se preparando para construir a maior usina de biodiesel do país, com 90 por cento da matéria-prima, principalmente soja e girassol, proveniente de Brasil, Angola e Moçambique.

A refinaria deve entrar em operação em 2010 e terá uma capacidade anual de 250 mil toneladas, de acordo com um acionista.

Pedro Sampaio Nunes disse à Reuters que o restante da matéria-prima utilizada virá de Portugal, e pode ser soja, colza e palma.

'Vamos começar a construir em outubro deste ano, se tudo der certo', disse Nunes. 'O investimento será de cerca de 100 milhões de euros (156,9 milhões de dólares) e a refinaria começará a operar no final de 2009 ou início de 2010'.

O consórcio, conhecido como GreenCyber, é de propriedade da construtora Hagen (58 por cento), investidores individuais como Sampaio Nunes (30 por cento) e do banco Efisa (12 por cento).

A refinaria será construída no porto de Sines, ao sul de Portugal, de onde o biodiesel pode ser exportado e com fácil acesso para estradas e ferrovias que ligam o país à Espanha.

A refinaria tentará se aproveitar do objetivo do governo de reduzir a dependência do petróleo, além de cumprir a meta de mistura de 10 por cento no diesel até 2010, ou 600 mil toneladas por ano.

Nunes afirmou que a refinaria poderá facilmente ampliar a capacidade. 'Nossa instalação nos permite facilmente triplicar nossa capacidade, o que acredito que irá acontecer nos próximos 10 anos', disse ele.

Atualmente Portugal tem quatro refinarias de biodiesel, produzindo um total de 500 mil toneladas por ano.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.