Tamanho do texto

BRASÍLIA - O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Artur Henrique Silva, disse na noite desta segunda que, na próxima quarta-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fará uma reunião com representantes dos bancos públicos e privados para discutir taxas de juros e dos spreads bancários. Segundo ele, Lula ainda deu a garantia aos sindicalistas de que, apesar do agravamento da crise, está mantida a política de concessão de aumento real ao salário mínimo, que pode chegar a R$ 465 a partir do dia 1° de fevereiro. Hoje, o valor pago é de R$ 415.

O presidente informou que a proposta com o novo valor será enviada ao Congresso nos próximos dias.

Segundo os presentes ao encontro, Lula informou que convocará os governadores para conversar sobre a manutenção da redução do ICMS dos Estados por considerar importante essa medida para aumento do volume do capital de giro das empresas.

De acordo com o relato, Lula se mostrou muito preocupado com as perspectivas para a economia neste primeiro trimestre. Ele (presidente) disse, por três vezes, que esse período é "muito delicado".

De acordo com Arthur Henrique, o presidente Lula afirmou a ele e a outros sindicalistas, durante o encontro que durou cerca de três horas, que o custo do crédito é a questão mais importante dos efeitos da crise financeira no Brasil. "O presidente Lula se mostrou muito sensível a essa necessidade de se reduzir os juros no Brasil", afirmou Henrique.

O presidente da CUT acrescentou que o presidente deve se reunir no início de fevereiro com prefeitos e governadores para discutir as ações que as administrações regionais poderiam adotar para manter o ritmo crescimento econômico.

Leia também:

    Leia tudo sobre: lula
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.