Tamanho do texto

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou o gerenciamento europeu da crise e disse que o Brasil será a quarta ou quinta economia do mundo nos próximos dez anos. Em discurso durante a cerimônia de início da operação da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), no Rio, Lula fez várias críticas ao modo como os países da Europa reagiram aos indícios da crise fiscal na Grécia.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva criticou o gerenciamento europeu da crise e disse que o Brasil será a quarta ou quinta economia do mundo nos próximos dez anos. Em discurso durante a cerimônia de início da operação da Companhia Siderúrgica do Atlântico (CSA), no Rio, Lula fez várias críticas ao modo como os países da Europa reagiram aos indícios da crise fiscal na Grécia.

"A crise hoje é uma crise europeia de demora de tomada de decisão. Quando a gente descobre que um paciente tem uma doença não manda esperar, aplica o remédio. Não é possível que um país como a Grécia provoque uma crise na Europa inteira. Se a Europa tivesse resolvido logo o problema da Grécia, a crise não teria chegado à Espanha, Itália e Portugal."

De acordo com Lula, enquanto o grupo de países do chamado BRIC (Brasil, Rússia, ¿?ndia e China) e os Estados Unidos defendem hoje a retomada do desenvolvimento, a Europa acredita que o mundo precisa fazer um ajuste fiscal que, segundo o presidente, só levaria a um agravamento do desemprego. "Nestas crises temos que fazer o contrário: investir, que foi o que nós fizemos, e por isso o Brasil está em uma situação confortável, boa, economicamente."

Segundo o presidente, "no mais tardar nos próximos dez anos o Brasil será a quarta ou a quinta economia do mundo". "Vamos crescer muito, com responsabilidade e seriedade. Não vamos brincar."

Lula explicou em seu discurso que só sancionou esta semana o reajuste de 7,7% para os aposentados que ganham mais de um salário mínimo porque os ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Planejamento, Paulo Bernardo, acertaram cortes no Orçamento. "Porque neste momento não quero dar nenhum sinal de irresponsabilidade, quero entregar este País mais preparado do que encontrei para que não ocorra o retrocesso como já ocorreu historicamente."

O presidente aproveitou a derrota da Alemanha na Copa - país de origem da principal acionista da CSA, a ThyssenKrupp - para fazer vários comentários sobre a Copa do Mundo, e citou até mesmo uma estatística que, segundo ele, mostra que 60% das copas ganhas em 80 anos tiveram como campeões o Brasil, a Itália e a Alemanha. Lula fez o deleite da plateia ao dizer frases como "A Argentina está maravilhosa, até enfrentar o Brasil", "Em 94 ninguém acreditava, jogamos feio e ganhamos a Copa", e ainda que "O que vale é se no final o cidadão levantar aquele caneco".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.