Tamanho do texto

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou nesta terça-feira, durante cerimônia no Palácio do Planalto, o contrato para implantação e exploração da usina hidrelétrica de Jirau, no rio Madeira, em Rondônia. O empreendimento, que integra o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), terá investimentos de R$ 9 bilhões e agregará 3.300 MW de potência instalada ao Sistema Interligado Nacional (SIN).

De acordo com o presidente da empresa Energia Sustentável do Brasil S.A., Victor Paranhos, se a licença de instalação para o início das obras for concedida em setembro, a usina poderá começar a gerar energia já em dezembro de 2011.

A empresa Energia Sustentável do Brasil S.A., sociedade vencedora do leilão realizado em maio deste ano, é formada pelas empresas Suez Energy South America Participações Ltda. (50,1%); Camargo Corrêa Investimentos em Infra-Estrutura S.A. (9,9%); Eletrosul Centrais Elétricas S.A. (20%) e Companhia Hidro Elétrica do São Francisco ¿ Chesf (20%).

Durante a cerimônia, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, fez um apelo para que a Energia Sustentável e o consórcio Jirau Energia, liderado pela Odebrecht e derrotado na licitação da Usina de Jirau, não ingressem em uma disputa judicial. O consórcio derrotado questiona mudanças no projeto da empresa Energia Sustentável, após conclusão da licitação, tornando o projeto mais barato.

O País confia aos senhores estas duas obras de grande envergadura. A nação necessita dessa energia. O governo brasileiro não admitirá que os consumidores sejam prejudicados por conta de disputas, acrescentou Lobão.

Na semana passada, ele chegou a ameaçar cancelar o leilão e abriu a possibilidade do próprio governo federal assumir a obra, caso a disputa judicial não fosse resolvida.

Geração de empregos

A hidrelétrica de Jirau é a segunda usina do rio Madeira a ser leiloada. A primeira foi a de Santo Antônio. A construção dessas usinas criará mais de 60 mil empregos e contribuirá para o desenvolvimento regional e para a ampliação da indústria de infra-estrutura nacional, segundo o Ministério de Minas e Energia.

Com início de operação comercial previsto para 2012 (Santo Antônio) e 2013 (Jirau), as duas usinas recolherão anualmente R$ 15 milhões à União, R$ 67 milhões ao estado de Rondônia e outros R$ 67 milhões ao município de Porto Velho, na forma de compensação pelo uso dos recursos hídricos do rio Madeira.

Leia mais sobre hidrelétricas

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.