Tamanho do texto

A MRV Engenharia obteve lucro líquido de R$ 150,5 milhões no segundo trimestre de 2010, mostrando um acréscimo de 103,6% em relação a igual período do ano anterior

selo

A MRV Engenharia obteve lucro líquido de R$ 150,5 milhões no segundo trimestre de 2010, mostrando um acréscimo de 103,6% em relação a igual período do ano anterior. Com isso, a margem líquida da incorporadora avançou de 19% para 21,3%. "Nosso principal driver de crescimento continua sendo a maior demanda, estimulada pela disponibilidade de crédito e incentivos do governo que tem possibilitado a constante expansão das margens da companhia", afirmou o vice-presidente executivo, diretor Financeiro e de Relações com Investidores da companhia, Leonardo Guimarães Corrêa. Entre abril e junho deste ano a companhia obteve receita líquida recorde de R$ 705,1 milhões, com expansão de 81% na comparação com igual período do ano anterior. No mesmo intervalo, o Ebitda da MRV subiu 93,6%, para R$ 188,9 milhões, com a margem Ebitda passando de 25% para 26,8%. No período também se observou uma melhora na margem bruta, que passou de 33,7% para 34,4%. No trimestre encerrado em 30 de junho, o indicador Vendas sobre Oferta (VSO), que mede a velocidade de vendas, desacelerou para 37%, ante 39% no mesmo período do ano passado. Em relação ao final de março, porém, o índice acelerou quatro pontos porcentuais. De acordo com Corrêa, a estratégia da MRV permanece focada na expansão através do crescimento orgânico. No balanço, a empresa destaca ter registrado mais uma vez o melhor trimestre de sua história em vendas contratadas, totalizando R$ 981,9 milhões, valor 15,3% superior a um ano antes. Do total, 75% se enquadra no programa "Minha Casa, Minha Vida". Os lançamentos também atingiram novo recorde histórico, somando R$ 1,11 bilhão. Do total comercializado no período, 25,9% são referentes a lançamentos anunciados no mesmo trimestre e 26,9% a lançamentos do primeiro trimestre. Para 2010, a incorporadora mantém a meta de atingir vendas contratadas entre R$ 3,7 bilhões e R$ 4,3 bilhões e uma margem Ebitda entre 25% e 28%. No acumulado do semestre, o lucro líquido da empresa cresceu 116,6%, para R$ 266,3 milhões, com a margem líquida passando de 18,6% para 20,9%. No mesmo intervalo, a receita líquida subiu 92,4%, para R$ 1,273 bilhão, e a geração de caixa medida pelo Ebitda avançou 114,3%, para R$ 338,6 milhões, com a margem Ebitda avançando de 23,9% para 26,6%. O tamanho médio dos empreendimentos lançados pela MRV cresceu 48% no primeiro semestre, passando de 172 para 254 unidades. O banco de terrenos da MRV, que no final de março somava R$ 10,923 bilhões, atingiu um Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 11,347 bilhões em 30 de junho. O montante corresponde a aproximadamente 116 mil unidades, das quais 83% com preço até R$ 130 mil. Já o estoque a valor de mercado cresceu 6,7% no mesmo intervalo, somando R$ 1,6 bilhão, sendo que 90% das unidades do estoque são elegíveis ao programa "Minha Casa, Minha Vida".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.