Tamanho do texto

Por Isabel Versiani BRASÍLIA (Reuters) - A Caixa Econômica Federal (CEF) espera fechar o ano com crescimento de 30 por cento no crédito, com foco nas pessoas jurídicas, e tem como meta manter a trajetória de redução do peso dos ganhos com tesouraria em seu balanço.

No segundo trimestre do ano, a instituição pública registrou lucro de 1,670 bilhão de reais, aumento de 90 por cento frente ao mesmo período de 2007.

Parte dos ganhos refletiu o aumento da alíquota da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido em maio --de 9 para 15 por cento-- que permitiu ao banco compensar créditos tributários no valor de 704 milhões de reais.

Mas as operações de crédito, que tiveram crescimento expressivo, também contribuíram para inflar o lucro.

De janeiro a junho deste ano, o estoque das operações de crédito cresceu 29,2 por cento frente ao mesmo período de 2007 para 58,1 bilhões de reais. O estoque de créditos para Habitação somou 36,7 bilhões de reais, valor recorde, com alta de 27 por cento em 12 meses.

'Estamos trabalhando para fechar o ano alinhados com o mercado em termos de crescimento do crédito, com alta de 30 por cento', afirmou o vice-persidente de Controle e Risco da instituição, Marcos Vasconcelos.

Ele acrescentou que a estratégia não vai contra o esforço do governo para desaquecer a economia pois é centrada principalmente na elevação do financiamento para as pessoas jurídicas --parte do qual vai para investimento-- e não envolve o financiamento de automóveis, segmento muito aquecido na economia, mas no qual o banco não atua.

No semestre, as receitas da CEF advindas de títulos e valores mobiliários caiu 6,8 por cento frente a 2007, mas o resultado, de 7,525 bilhões de reais, ainda ficou bem acima das receitas de 4,910 bilhões de reais obtidas com operações de crédito.

Segundo o vice-presidente de Finanças, Márcio Percival, a meta da instituição é obter maior equilíbrio entre esses dois segmentos. 'Isso dá estabilidade maior aos nossos ganhos', afirmou.

No semestre, o lucro líquido da CEF somou 2,5 bilhões de reais, alta de 53,5 por cento frente ao mesmo período de 2007.

Descontadas as receitas e despesas não-recorrentes, o lucro aumentou 40 por cento, para 2,040 bilhões de reais.

A Caixa repassou ao Tesouro Nacional, em julho, 588 milhões de reais destinados ao pagamento antecipado de juros e dividendos do ano.

'Somados aos repasses das loterias, tributos e encargos recolhidos, eleva-se para 3,4 bilhões de reais o montante destinado ao Tesouro Nacional no período', informou a Caixa em comunicado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.