Tamanho do texto

SÃO PAULO - A fabricante japonesa de videogames Nintendo anunciou uma queda de 28% no lucro líquido em seu segundo trimestre fiscal, encerrado em setembro, que chegou a 37,56 bilhões de ienes (US$ 387 milhões). O lucro operacional da empresa, porém, aumentou 35,49% no período, atingindo a marca de 132,99 bilhões de ienes, graças ao bom desempenho de vendas de seus consoles Wii e DS.

Ainda assim, a empresa anunciou uma revisão para baixo em suas expectativas para o ano, por conta da retração de demanda causada pela crise financeira internacional e pela valorização do iene frente o dólar.

A Nintendo agora espera obter lucro líquido de 345 bilhões de ienes neste ano, contra 410 bilhões de ienes que projetava anteriormente. Segundo a empresa, isso foi causado por uma mudança na expectativa para a taxa de câmbio média para o ano. Antes a fabricante trabalhava com a taxa de 105 ienes por US$ 1 e, agora, acredita que ela ficará em 100 ienes por US$ 1. O impacto é significativo uma vez que a Nintendo obtém cerca de 90% de seu faturamento no exterior e a valorização do iene deixa seus produtos menos competitivos nesse mercado.

Por outro lado, a Nintendo elevou sua expectativa de vendas de unidades para o ano. Agora, a companhia espera vender 27,5 milhões de unidades do console Wii, 4% mais que a previsão anterior. A Sony, sua principal concorrente no Japão, tem previsão de vender 10 milhões de unidades de seu próprio console, o PlayStation 3, nesse ano fiscal.

Para o presidente da Nintendo, Satoru Iwata, o setor de jogos eletrônicos tem enfrentado o ambiente adverso de negócios relativamente bem. Segundo ele, sua companhia continua segura no caminho do crescimento. "Se olharmos para trás, o fato de termos ou não jogos interessantes teve muito mais impacto em nossos lucros do que as altas e baixas da economia", afirmou o executivo em entrevista coletiva no Japão. "Acredito que é seguro dizer que a forte demanda por jogos permanece intacta apesar de toda essa conversa sobre crise financeira", finalizou.

(José Sergio Osse | Valor Online, com agências internacionais)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.