Tamanho do texto

No eBay, horário mais agitado é das 18h30 às 22h30, em todos os fusos-horários, quando consumidores voltam de festas; empresas já ajustam ofertas a esse padrão

Depois de desfrutar de uns bons drinks, algumas pessoas saem para dançar. Outras pedem comida em casa. Mas para algumas, é hora de fazer compras online.

"Minha conta esta ligada ao meu celular, assim fica bem mais fácil", afirmou Tiffany Whitten, de Dayton, Ohio, cuja última aquisição feita pelo smartphone depois de uma visita ao bar – uma capa para seu celular – chegou da Amazon para sua surpresa. "Eu estava bêbada e comprei isso, depois me esqueci. A caixa chegou pelo correio e eu fiquei superfeliz".

NYT
"É algo útil, não simplesmente chegar bêbada e dormir", diz Amand­a Schus­ter
- LEIA TAMBÉM: Fabricante do Johnnie Walker rejeita primo pobre

Consumidores que fazem compras sob o efeito do álcool têm ajudado lojas de artigos de luxo há muitos anos. Basta se lembrar das festas regadas a champanhe que sempre enchem as galerias e butiques. Com a popularização das compras pela internet, comprar depois de beber não é mais exclusividade dos ricos. Pessoas como Whitten, que trabalha com expedição e gastou apenas cinco dólares na capa com formato de gato, também se juntaram ao clube.

Certa vez, Chris Tansey, um contador da Austrália, fez compras online depois de ficar bebendo até tarde (ou, para ser preciso, até bem cedo). Ao final, ele havia adquirido uma viagem de motocicleta pela Nova Zelândia no valor de 10.000 dólares.

"A hesitação em gastar o dinheiro que você batalhou para ganhar desaparece da sua vida depois de uma garrafa de vinho", explicou Tansey por e-mail. A viagem pela Nova Zelândia foi espetacular, afirmou. Mas os três dólares que gastou em um par de óculos no eBay não valeram a pena. "Era uma falsificação péssima e eu ainda tive que pagar 17 dólares pelo frete, mas a cerveja não me deixou notar isso na hora."

As lojas online, é claro, não têm como saber se seus clientes estão inebriados quando clicam em "comprar". Um site de comparação de preços, o Kelkoo, afirmou que metade das pessoas entrevistadas na Inglaterra, onde fica sua sede, já fizeram compras online depois de beber.

É difícil ter acesso a dados confiáveis, mas os vendedores têm algumas suspeitas baseadas nos curiosos padrões de tráfego de seus sites – e algumas dessas empresas já estão, inclusive, ajustando suas ofertas conforme esses padrões.

"Depois de uma visita ao bar, as inibições podem sofrer um impacto que pode levar alguns clientes às lojas e, com sorte, a algumas saudáveis compras por impulso", afirmou Andy Page, presidente do Gilt Groupe, uma loja online que tem acrescentado um número maior de ofertas depois das 21h00, em resposta ao aumento de visitas nesse horário _ talvez algumas delas feitas por compradores embriagados.

Betha­ny Diamo­nd aprecia um drinque enquanto faz compras em Denver (EUA): consumo sem culpa
New York Times
Betha­ny Diamo­nd aprecia um drinque enquanto faz compras em Denver (EUA): consumo sem culpa


No eBay, o horário mais agitado do dia é das 18h30 às 22h30 em todos os fusos-horários. Quando perguntei se a bebida poderia ser um fator, Steve Yankovich, vice presidente do eBay para aparelhos móveis respondeu: "Com certeza". E acrescentou dizendo que "se você pensar que o que a maior parte das pessoas faz quando chega em casa depois do trabalho é relaxar. O consumidor provavelmente vai estar de bom humor".

As compras noturnas estão crescendo em todos os lugares. A ChannelAdvisor, que controla as vendas online de centenas de sites, afirma que o volume de pedidos atinge seu pico às 20h00, e que os clientes estão fazendo pedidos cada vez mais tarde. Em 2011, o número de pedidos realizados entre as 21h00 e a meia-noite aumentou em comparação com os anos anteriores.

Entre os e-mails com ofertas que começaram a ser enviados em novos horários para os clientes estão: das 18h00 às 21h00, uma promoção limitada de artigos de moda na Neiman Marcus; às 19h38, uma oferta para três dias de estadia nos hotéis da rede Loews; às 20h44, uma oferta de docinhos e cobertores de pele falsa da Gilt; e às 2h23, uma promoção para concorrer a um cartão presente de 2.000 dólares na Sacks.

No QVC, um canal de compras pela televisão, o número de telespectadores e de vendas aumenta no fim da tarde e, em seguida, diminui até as 19h00. Então, itens como cosméticos e acessórios vendem animadamente. "São os agrados para as meninas. Eles parecem atrair um público fiel depois do horário do jantar", afirmou Doug Rose, vice presidente de programação e marketing multicanal da empresa. "Não é muito difícil imaginar o que motiva isso."

Ainda assim, o período noturno requer o cuidado de alguns sites. Por razões éticas, eles não querem encorajar pessoas embriagadas a fazer compras. Além disso, muitas pessoas que, inadvertidamente, fazem compras nesse estado, acabam devolvendo os produtos e causando grandes prejuízos. Por outro lado, um cliente feliz pode levar a mais vendas.

"No contexto comercial, o álcool anima as pessoas e as deixa mais relaxadas", afirmou Nancy Puccinelli, membro associado da Faculdade Said de Administração da Universidade de Oxford e especialista no comportamento dos consumidores. "Se vemos um produto e estamos nos sentindo bem, faremos uma avaliação mais positiva daquele produto".

Contudo, as compras abastecidas a álcool podem causar problemas. Mesmo que as lojas online armazenem os dados de cartão de crédito e possibilitem compras com um só clique, o álcool atrapalha a memória, o que significa que "no momento da compra, o cliente não tem a habilidade cognitiva necessária para refletir sobre o que está fazendo. Se estiver comprando um suéter, por exemplo. Será que ele é capaz de saber se o tamanho está certo? Se aquela é a cor correta?", comentou.

Kristin A. Kassaw, professora de psiquiatria e ciência comportamental na Universidade de Baylor, afirmou que fazer compras online embriagado pode trazer graves consequências financeiras.

"Quando você está carregando as coisas em um carrinho de compras virtual, você não pode tocar e sentir o que está comprando, e fica mais difícil concluir que está gastando demais. Isso o afasta da verdadeira experiência de gastar dinheiro", afirmou.

Em lojas reais, apesar dos horários estendidos de final de ano, é raro encontrar um cliente embriagado, mas quando eles aparecem, podem causar muitos problemas.

Na noite de Ação de Graças, por volta das 23h00, um cliente do Wal-Mart em Florence, no Alabama, estava tropeçando nas prateleiras e se segurando nos produtos. Policiais o atingiram com uma arma de efeito paralisante e o ficharam por desordem pública. Em uma loja da Best Buy em Lufkin, no Texas, um homem bêbado desapareceu no banheiro às 4h00 da Black Friday e tentou dar descarga em um cabo, aparentemente para não ser pego roubando o produto.

E em Scarborough, no Maine, na manhã de sexta, após o dia de Ação de Graças, um homem foi preso enquanto tentava sair com seu carro do estacionamento de uma loja da Cabela, onde bebeu durante toda a noite, enquanto esperava pela abertura da loja. Amanda Schuster, autora da revista Wine&Spirits e consultora no Brooklyn, afirma que jamais fez compras em uma loja física após beber, mas acha difícil resistir à tentação na internet.

"De certa forma, parece produtivo. É como se tivesse feito algo de útil, não simplesmente chegado bêbada em casa e depois dormido", afirmou.

Essa coisa produtiva costuma ser a compra de CDs usados na Amazon. Quando um pacote inesperado aparece em minha caixa de correio tento me lembrar, olho no meu histórico de compras e digo 'Ah, lembrei'", contou.

Arrependimentos? Ela teve alguns.

"Quando será que eu comprei aquela coletânea do Heart?", perguntou.

The New York Times News Service/Syndicate – Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito do The New York Times.