Tamanho do texto

Um projeto que torna obrigatória a ampliação da licença-maternidade de quatro para seis meses, para o setor público e privado, foi aprovado ontem pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. A proposta, porém, terá uma longa tramitação e, se não tiver respaldo na Câmara e no governo, dificilmente será aprovada.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.