Tamanho do texto

Zeca Pagodinho, Baixinho da Kaiser e até Adoniran, com a pergunta “Nóis viemo aqui pra bebe, o pra conversá?”, já venderam cerveja

Adoniran Barbosa já perguntava, em comercial da cervejaria Antártica de 1976, no breque de um sambinha: “nóis viemo aqui pra beber, o pra conversá?”. Nos anos da década de 1980, José Valien Royo, o “baixinho da Kaiser”, de motorista virou celebridade assoviando a melodia da “grande cerveja”. Deu lugar a tatuís, siris e tartarugas animadas nos primeiros anos da virada do século, tempos em que Bussunda visitava Juliana Paes no bar da Boa e de guerra das cervejas, como a que levou Zeca Pagodinho a criar um desmentido musical para dizer que o que é mesmo é “brahmero”, depois de experimentar a Nova Schin em rede nacional.

Os personagens que marcarão as campanhas de cerveja deste verão permanecem indefinidos. Mas o suspense deverá durar pouco. A menos de um mês do início da estação, a Skol já tem no ar filmes ambientados na praia – um da cerveja 360º, outro da Skol tradicional, com terremoto à beira mar – e a Kaiser lançou comercial em que mulheres trocam o biquíni por trajes mais comportados e aparecem como consumidoras de cerveja em mesas de bar. Ontem, a Itaipava, segunda cervejaria do mercado em vendas, lançou a dela. A Proibida, das Tchecas, promete campanha de desembarque em São Paulo para breve. A conferir.

Até lá, veja o TOP 10 de comerciais clássicos de cervejas brasileiras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.