Tamanho do texto

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) cadastrou 478 empreendimentos para o próximo leilão de energia renovável, que será realizado ainda neste primeiro semestre. Ao todo, os projetos têm capacidade instalada de 14.

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) cadastrou 478 empreendimentos para o próximo leilão de energia renovável, que será realizado ainda neste primeiro semestre. Ao todo, os projetos têm capacidade instalada de 14.529 megawatts (MW), superior aos 11.233 MW da Usina de Belo Monte. A energia deve ser entregue a partir de 2011. Participarão do leilão usinas eólicas, a biomassa e Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCHs). A possibilidade de licitação de energias alternativas é um dos argumentos de ambientalistas contra a construção de Belo Monte. Para o presidente da EPE, Maurício Tolmasquim, porém, as duas fontes terão seu papel no abastecimento de energia. "É importante observar que tanto a fonte eólica quanto a biomassa são complementares à geração hidrelétrica", disse, em nota oficial. Em entrevista recente ao Estado, Tolmasquim afirmou que as usinas de biomassa poderiam complementar a geração de Belo Monte, já que a safra de cana-de-açúcar coincide com o período de seca na Região Norte do País, quando a usina estará gerando bem abaixo de sua capacidade instalada. São Paulo terá o maior número de usinas desse tipo. São 32 projetos no Estado, com capacidade de 1.873 MW. A maior parte do volume cadastrado para o leilão, porém, é de centrais eólicas: 399, com potência de 10.569 MW. Depois, vêm as térmicas a bagaço de cana, com 55 projetos e 3.518 MW. Há ainda propostas de duas usinas abastecidas por resíduos de madeira (57 MW) e quatro (131 MW) por capim-elefante. Dezoito PCHs se cadastraram, com oferta total de 255 MW. Eólicas e PCHs terão de entregar energia a partir de 2013. Já as usinas a biomassa terão três datas de início de entrega, entre 2011 e 2013.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.