Tamanho do texto

A Kraft Foods se recusou a dar garantias de emprego para os trabalhadores da Cadbury, que estão cada vez mais preocupados que uma aquisição pela gigante norte-americana resultará em muitas demissões, disseram representantes do sindicato dos trabalhadores hoje. Com analistas prevendo que a Kraft buscará gerar até US$ 1 bilhão em economias por meio de demissões em massa e de uma reestruturação, a companhia deve assumir compromissos sobre um conjunto de proteções mínimas de emprego, afirmou o Unite, maior sindicato trabalhista do Reino Unido.

As exigências, que o Unite também enviou à executiva-chefe da Kraft, Irene Rosenfeld, seguem uma reunião em 25 de novembro entre representantes europeus da companhia e membros do sindicato. No encontro, o grupo pressionou a Kraft por garantias de empregos e pela preservação de benefícios de pensão completos e contribuições. Contudo, a gigante norte-americana recusou as solicitações, dizendo que precisava de mais informações.

A diretora do setor alimentício do Unite, Jennie Formby, afirmou que representantes da Kraft estavam dispostos a conversar, mas que não podiam dar garantias sobre empregos ou condições. Um porta-voz da companhia não estava imediatamente disponível para comentar o assunto. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.