Tamanho do texto

São Paulo, 20 - A próxima safra mundial de açúcar 2010/11 não apresentará mais déficit de oferta, de acordo com o consultor Jonathan Kingsman, diretor geral da Kingsman S.A.

Segundo ele, a próxima safra 2010/11 - que se inicia em abril de 2010 - apresentará um equilíbrio entre oferta e demanda ou um ligeiro superávit em comparação com o atual déficit de 8,3 milhões de toneladas. Kingsman acredita que, nos próximos meses, a importação de açúcar no mundo ainda ficará em um nível de 3 a 4 milhões de toneladas acima do produto disponível para exportação.

Kingsman estima que o déficit irá desaparecer independentemente da produção indiana. O consultor não acredita que a produção da Índia em 2010/11 irá conseguir se recuperar e atingir as 26 milhões de toneladas esperadas pelo governo indiano. "A safra da Índia deverá atingir no máximo 20 milhões de t na próxima safra e a atual deve ficar em torno de 15 milhões de t", disse.

Segundo ele, é difícil saber qual será o comportamento dos preços nos próximos 6 a 12 meses. "O mercado pode se focar no atual déficit ou no superávit futuro?", questiona. Ele acredita, contudo, que as cotações devem se manter acima da paridade entre açúcar e etanol, enquanto os países consumidores fizerem recomposição dos seus estoques. Ele acredita que a paridade entre açúcar e etanol fique entre 15 e 17 cents por libra-peso nos próximos meses. Kingsman concedeu entrevista nos corredores da Conferência Internacional de Açúcar e Álcool, onde no fim da tarde realizará palestra sobre o mercado em 2010.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.