Tamanho do texto

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (DEM), afirmou ontem que está claro que a empresa Uni Repro Soluções para Documentos Ltda. - uma das que teriam alimentado o mensalão do DEM - se envolveu em irregularidades no Distrito Federal.

Kassab avisou, ainda, que os contratos com a sua administração serão investigados por uma sindicância.

"É evidente que é uma empresa que se envolveu em irregularidades, está muito claro isso, em Brasília. Pedi aos secretários que abrissem uma sindicância para verificar se na cidade de São Paulo não existe nenhuma irregularidade. É nossa obrigação", afirmou o prefeito.

Conforme revelou o Estado, a Uni Repro e outra empresa citada no escândalo - a Call Tecnologia e Serviços Ltda. - receberam desde 2006, quando Kassab tomou posse, R$ 106,9 milhões por serviços prestados.

O contrato com a Uni Repro foi assinado em 2006 e a ata de preços foi usada em 2007, pelo governo José Roberto Arruda (DEM), no Distrito Federal, para a contratação da empresa.

Kassab afirmou ontem que nunca foi contatado por Arruda para essa operação. "É evidente que não." Segundo o prefeito, a auditoria determinada por ele deve abranger não só o contrato com a Uni Repro, mas também os da Call Tecnologia.

PARCERIA
O prefeito comentou, ainda, que o escândalo do "mensalão do DEM" é uma caso isolado e não deve comprometer a aliança entre o seu partido e o PSDB. "Todos pagam pelos seus erros. Com o tempo vai ficar muito claro que é uma questão isolada. Em nada muda a nossa aliança", garantiu. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.