Tamanho do texto

SÃO PAULO - O aperto monetário iniciado em abril pelo Banco Central (BC) já reflete no movimento dos juros bancários. Pesquisa divulgada nesta segunda-feira pela Fundação Procon-SP mostrou crescimento na taxa média de juros cobrada pelos bancos nas modalidades de crédito pessoal e de cheque especial.

De acordo com o estudo, realizado com dez instituições, o juro médio mensal cobrado para as operações de empréstimo pessoal passou de 5,67% para 5,69% entre julho e agosto. Já para o cheque especial, o salto foi maior, de 8,83% para 8,97% ao mês.

Na modalidade de crédito pessoal, três bancos foram os responsáveis pela alta no juro, visto que sete instituições pesquisadas mantiveram as taxas praticadas em julho. Foram verificados reajustes no Bradesco (5,87% para 5,93%), no Itaú (6,58% para 6,64%) e no HSBC (4,81% para 4,82%).

Já no cheque especial, cinco bancos aumentaram as taxas. As três maiores altas foram apuradas pelo Procon-SP nos bancos Safra (11,79% para 12,3%), Real (8,9% para 9,28%) e Bradesco (8,39% para 8,58%).

A entidade salienta que os dados levantados referem-se a taxas máximas pré-fixadas para clientes não preferenciais, sendo que para o cheque especial foi considerado o período de 30 dias. Foram coletados números dos bancos Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú, Banco do Brasil, Nossa Caixa, Real, Safra, Santander e Unibanco.

Leia mais sobre juros

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.