Tamanho do texto

Se por um lado, o consumidor faz cada vez mais uso do cartão de crédito, a atenção com controle dos gastos nessa modalidade deve ser também maior. Isso porque os juros cobrados são um verdadeiro perigo para as finanças pessoais.

Levantamento da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs) mostra que as taxas de juros do rotativo podem chegar a 16% ao mês. Os especialistas sempre recomendam que o consumidor pague tudo à vista. "Quando a pessoa não consegue que a loja lhe dê nenhum tipo de desconto ao pagar no ato, o melhor é optar pelo parcelamento sem juros no cartão", sugere Andrew Storfer, diretor de Economia da Associação Nacional dos Executivos de Finanças e Contabilidade (Anefac).

"Só é aconselhável contrair uma dívida no cartão se o consumidor tiver a certeza de que vai poder pagá-la em dia", afirma Storfer. "Porque, se ele entrar no rotativo, pagará juros altíssimos."

Inadimplência

A inadimplência entre os usuários de cartão diminuiu. Segundo o Banco Central, os atrasos de mais de 90 dias no pagamento da fatura caíram de 10,1% em junho de 2006 para 8,6% neste ano.

Para Marcelo Noronha, diretor de Comunicação da Abecs, uma das explicações para queda está no uso consciente do cartão. "As compras parceladas com juros e uso do rotativo do cartão (em que o consumidor paga apenas o valor mínimo da fatura e parcela o restante) representavam, em 2006, 45% do saldo total", declara. Agora, elas respondem por 35%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.