Tamanho do texto

BRASÍLIA - Os juros bancários para as pessoas físicas cederam 1,1 ponto percentual entre janeiro e fevereiro, para 41,9%, menor patamar da série iniciada em julho de 1994. A taxa média de juros da pessoa jurídica teve baixa de 0,6 ponto, ficando em 25,9%.

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=economia%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237562690624&_c_=MiGComponente_C

A taxa média de juros bancários diminuiu 0,8 ponto entre janeiro e fevereiro, de 35,1% para 34,3% anuais. Em fevereiro de 2009, a taxa média estava em 41,3%. Os dados foram apresentados nesta terça-feira pelo Banco Central (BC).

Segundo o relatório mensal distribuído pela instituição, o juro médio pago nos financiamentos tomados pelas famílias ficou em 41,9% ao ano, ante 43% ao ano registrados em janeiro.

No spread, que é a diferença entre a taxa de captação e o juro do empréstimo, a margem cobrada pelas instituições financeiras nos créditos às pessoas físicas caiu de 31,8 pontos em janeiro para 30,8 pontos no mês passado, também o menor nível da série.

O percentual do juro médio bancário corresponde à média das taxas cobradas em operações prefixadas, pós-fixadas e flutuantes, com pessoas físicas e jurídicas.

Tomando-se apenas as operações prefixadas, a taxa média declinou 0,9 ponto, partindo de 41,2% em janeiro para 40,3% um mês depois.

O spread, ou ganho dos bancos com a diferença entre as taxas de aplicação e de captação, foi de 25,1% na abertura deste calendário para 24,3%, também considerando a média das três modalidades de juros para financiamento. Os bancos mantiveram a taxa geral de captação, em 10%.


Leia mais sobre: juro bancário

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.