Tamanho do texto

Washington, 24 - Os esforços do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) para abrir seu Programa de Conservação de Reserva (CRP, na sigla em inglês) para pastagem foram restringidos nesta quinta-feira por uma determinação judicial. O juiz John Coughenour limitou o uso de terras ociosas aos pecuaristas que já tiveram seu pedido aprovado, solicitaram permissão ou fizeram investimentos para produzir nas áreas de conservação até 8 de julho.

Até então, proprietários com cerca de 1,8 milhão de acres estavam nessa situação.

Coughenour havia determinado a interrupção temporária do preparo de feno e do pastoreio nas áreas de conservação depois que a Federação Nacional pelos Animais Selvagens entrou com uma ação contra o uso dessas terras. Em sentença publicada hoje, Coughenour disse que o USDA foi "volúvel, irracional e arbitrário" ao afirmar que a abertura do CRP não implicaria em danos ao meio ambiente.

Em maio, o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) deu permissão para que criadores de gado usassem áreas do CRP devido ao alto custo de produção da cadeia bovina no país. Na ocasião, o secretário do USDA, Ed Schafer, informou que, com a medida, o país permitiria pela primeira vez o uso de 24 milhões de acres para pastagem sem penalizar significativamente os fazendeiros, que teriam de pagar apenas uma parcela de US$ 75 de tarifa administrativa.

Atualmente, 34,6 milhões de acres são destinados à conservação, mas grande parte das áreas mais frágeis ambientalmente, como pântanos, não seriam atendidas pela iniciativa do USDA. As informações são da Dow Jones.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.