Tamanho do texto

Mais de 150 jornalistas sudaneses se declararam nesta terça-feira em greve de fome e três jornais independentes suspenderam sua publicação para protestar contra a censura exercida pelo governo sudanês.

A Constitución interina do Sudao garante a liberdade de imprensa e de expressão. Mas a censura é diária, exercida por funcionários do poderoso aparelho de segurança que controla o fechamento das edições todas as noites.

Os jornalistas em greve denuncia a censura cotidiana, principalmente as notas relacionadas a temas como o conflito em Darfur, a corrupção, os direitos humanos e as acusaçoes feitas na Corte Penal Internacional (CPI) contra o presidente Omar el Beshir.

str/cn

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.