Tamanho do texto

País asiático pode comprar dívida do Fundo Europeu, assim como fez nos últimos meses nos casos da Irlanda e de Portugal

O ministro de Finanças japonês, Yoshihiko Noda, abriu nesta terça-feira as portas para uma nova operação de compra de bônus da eurozona para o resgate da Grécia, assim como já fez nos casos de Portugal e Irlanda, informou a agência local "Kyodo".

"Acreditamos que o Japão foi capaz de contribuir para a estabilidade financeira na Europa através da compra de dívida do Fundo Europeu de Estabilidade Financeira (EFSF)", declarou Noda, em relação à aquisição de bônus da eurozona em janeiro e junho para respaldar Irlanda e Portugal.

Enquanto a União Europeia e o Fundo Monetário Internacional (FMI) analisam os termos de um novo resgate para a Grécia, Noda admitiu conversas telefônicas com os outros ministros de Finanças do Grupo dos Sete (G7, que reúne os países mais industrializados do mundo), mas evitou revelar seu conteúdo, apontou a "Kyodo".

Na semana passada, o Japão comprou 1,1 bilhão de euros de bônus emitidos pelo EFSF para financiar o primeiro desembolso do plano de assistência a Portugal, o que supôs 20% dos bônus colocados nessa emissão. Antes disso, em janeiro, o país asiático adquiriu uma percentagem similar dos bônus por 5 bilhões de euros emitidos então pelo EFSF para respaldar o resgate da Irlanda.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.