Tamanho do texto

Gastos com vesturário, alimentação e transportes registraram desaceleração mais intensa, segundo dados da FGV

O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) registrou uma deflação de 0,13% até a quadrissemana encerrada em 15 de julho, mais intensa do que o apurado na primeira prévia do IPC-S do mês, até 7 de julho, que foi de queda de 0,08%.

Entre os componentes do índice, três das sete classes de despesa registraram desaceleração ou deflação mais intensa em suas taxas de variação de uma quadrissemana para a outra: alimentação (de -0,73% para -0,96%), vestuário (de 0,20% para 0,03%) e transportes (de -0,14% para -0,15%).

Esses grupos foram influenciados pelo comportamento dos preços dos itens hortaliças e legumes (de -6,10% para -7,00%), roupas (de 0,25% para -0,04%) e seguro facultativo para veículo (de 1,70% para 0,30%).

Em sentido contrário, em trajetória de aceleração ou fim de deflação na quadrissemana encerrada em 15 de julho ante a terminada em 7 de julho, ficaram os grupos saúde e cuidados pessoais (de 0,48% para 0,55%), despesas diversas (de 0,60% para 0,74%) e educação, leitura e recreação (de -0,03% para 0,05%). O grupo habitação registrou a mesma variação da última apuração, 0,22%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.