Tamanho do texto

Dentro deste grupo, destaca-se a alta dos custos de doméstica mensalista e de aluguel

O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) acelerou a alta para 0,51% na terceira quadrissemana de março, informou a Fundação Getulio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

Na segunda quadrissemana do mês, o indicador havia registrado alta de 0,47%. Na terceira quadrissemana de fevereiro, a elevação havia sido de 0,07%.

Das oito classes que compõem o indicador, cinco aceleraram a alta de preços. O grupo Habitação deu a principal contribuição para o avanço do IPC-S, com alta de 1,02% na terceira quadrissemana, ante 0,89% na segunda.

Destacou-se, nesse grupo, o comportamento dos itens empregada doméstica mensalista (4,10% na segunda quadrissemana para 4,93% na terceira), aluguel residencial (0,74% para 0,95%), taxa de água e esgoto residencial (1,26% para 1,85%) e condomínio residencial (1,01% para 1,09%).

Também aceleraram as altas de preços os grupos Alimentação (0,43% para 0,52%), Saúde e Cuidados Pessoais (0,52% para 0,60%), Despesas Diversas (0,06% para 0,12%) e Educação, Leitura e Recreação (0,24% para 0,28%).

Houve desaceleração nos preços dos grupos Transportes (0,34% para 0,20%), Comunicação (-0,19% para -0,28%) e Vestuário (0,31% para 0,27%).

Na quinta-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) - considerado uma prévia da inflação oficial -, que subiu 0,25% em março, mostrando uma forte desaceleração ante a alta de 0,53% registrada em fevereiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.