Tamanho do texto

Grupo alimentação foi o que mais contribuiu para o avanço dos preços

A inflação apurada pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) foi de 0,41% na primeira quadrissemana do mês (até 7 de março), o que indica uma aceleração ante a taxa de 0,24% registrada na quadrissemana anterior. O dado foi divulgado hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Das oito classes de despesa componentes do índice, seis apresentaram taxas maiores de variação de preços, entre a divulgação anterior e a de hoje.

Alimentos

O grupo Alimentação foi o que mais contribuiu para o avanço do IPC-S do fim de fevereiro para a primeira quadrissemana de março. No período, a deflação de 0,02% dos alimentos deu lugar a uma alta de preços de 0,31%. A taxa geral do IPC-S acelerou de 0,24% para 0,41% do fim de fevereiro para a primeira quadrissemana de março.

As principais contribuições entre os alimentos partiram dos itens hortaliças e legumes (-4,32% para -1,46%), frutas (+3,44% para +5,20%) e aves e ovos (-0,77% para +0,26%).

Também apresentaram acréscimos em suas taxas de variação de preços os grupos Habitação (de +0,53% para +0,70%), Educação, Leitura e Recreação (de +0,03% para +0,26%), Vestuário (de +0,02% para +0,23%), Transportes (de +0,31% para +0,39%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de +0,42% para +0,49%). Nestes casos, os destaques foram empregados domésticos (de +1,81% para +2,85%), show musical (de -1,27% para -0,83%), roupas (de -0,16% para +0,19%), gasolina (de -0,54% para -0,43%) e medicamentos em geral (de +0,12% para +0,21%), respectivamente.

Em sentido contrário, dois grupos apresentaram decréscimos em suas taxas: Comunicação (de +0,04% para -0,02%) e Despesas Diversas (de +0,16% para +0,12%). Os destaques foram tarifa de telefone residencial (de +0,03% para -0,23%) e cartório (de +0,69% para +0,33%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.