Tamanho do texto

Em desaceleração, IPCA fecha o primeiro trimestre do ano com alta de 1,22%

A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em março foi de 0,21%, segundo divulgou nesta quinta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É a menor taxa mensal para o indicador desde julho de 2011 (0,16%). 

Em fevereiro, a variação havia sido de 0,45%. Em março do ano passado, o índice foi de 0,79%.

No acumulado do ano, o indicador oficial de inflação avançou 1,22%. No mesmo período do ano passado, a inflação medida pelo IPCA havia ficado em 2,44%. Nos 12 meses encerrados em março, a inflação medida pelo IPCA ficou em 5,24%, indicando recuo em relação aos 12 meses encerrados em fevereiro, quando ficou em 5,84%.

Avaliação do governo

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirma que a queda da inflação em março "abre espaço para crescimento maior” em 2012, e garante que “a inflação está sob controle".

"O IPCA de 0,21% é muito bom", disse o ministro ao chegar para o trabalho em seu gabinete no Ministério da Fazenda. "Mostra que a inflação está sob controle. Isso abre possibilidade de um crescimento maior este ano."

Mudança de perfil

O resultado de março também confirma que o perfil da inflação em 2012 é bastante diferente do verificado em 2011, segundo avalia o IBGE. Os preços dos alimentos estão pressionando menos neste ano, assim como os monitorados e os serviços, destacou Eulina Nunes dos Santos, coordenadora de Índices de Preços do IBGE.

"O nível de inflação este ano está bem menor do que no ano passado. A tendência mostrada pela série nos últimos meses mostra exatamente isso", afirmou Eulina. "Neste ano, as commodities não estão exercendo pressão de alta. Então, os alimentos estão num nível de variação menor", completa.

Desempenho por grupo

De acordo com o instituto, a forte redução do índice em março se deve ao grupo educação. Em fevereiro, a inflação desse grupo subiu 5,62%, exercendo impacto de 0,25 ponto percentual na taxa daquele mês. Já em março, a alta de educação desacelerou a 0,54%, impactando, apenas, 0,02 ponto percentual na inflação do mês.

Os nove grupos que compõem o IPCA apresentaram as seguintes variações no mês: alimentação e bebidas (+0,25%), habitação (+0,48%), artigos de residência (-0,40%), vestuário (-0,61%), transportes (+0,16%), saúde e cuidados pessoais (+0,38%), despesas pessoais (+0,55%), educação (+0,54%) e comunicações (-0,36%).

INPC

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), que mede a inflação para famílias com renda de um a cinco salários mínimos, registrou redução em março deste ano e fechou o mês com uma taxa de 0,18%.

Segundo o IBGE, em fevereiro, a inflação havia ficado em 0,39% e, em março do ano passado, em 0,66%. O INPC acumulado no ano chega a 1,08%, enquanto o acumulado em 12 meses está em 4,97%.

A redução do INPC foi influenciada pelos produtos não alimentícios, que tiveram inflação de 0,15% em março, ante 0,47% de fevereiro. Os alimentos tiveram alta, ao registrarem taxa de 0,25% em março, ante 0,21%.

Sinapi

Nesta quinta, o IBGE divulgou também que o Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), que mede a inflação na construção civil, subiu 0,31% em março, taxa idêntica à apurada em fevereiro.

* Com Agência Brasil e Valor Online

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.