Tamanho do texto

Resultado foi influenciado pela retração nos preços dos alimentos que depois de registrar inflação de 0,50% em janeiro passou para uma deflação de 0,98%

selo

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede a inflação da cidade de São Paulo, registrou deflação de 0,07% em fevereiro. O número representa forte desaceleração sobre a inflação de 0,66% apresentada em janeiro. O resultado apurado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) ficou no piso das estimativas de 21 analistas consultados pelo AE Projeções, que oscilavam entre -0,07% e +0,09%, com mediana de 0%.

Na comparação com a terceira quadrissemana de fevereiro, o IPC também teve desaceleração, já que o índice apresentara inflação de 0,07% naquela prévia. Vale ressaltar que a queda apurada naquela medição surpreendeu os economistas e até mesmo a Fipe. Tanto que o instituto, ao avaliar os dados da terceira quadrissemana, revisou fortemente o IPC de fevereiro, de elevação de 0,36% para recuo de 0,05%.

Todos os índices que compõem o IPC apresentaram queda da terceira para a quarta quadrissemana de fevereiro. O grupo Habitação teve ligeira baixa no fechamento do mês. A inflação recuou de 0,43% na terceira prévia para 0,40% no levantamento final. Mesmo assim, ainda ficou acima do índice fechado de janeiro, que foi de 0,31% - Habitação foi o item que, na variação ponderada, mais contribuiu para o IPC no mês de fevereiro.

Já o grupo Alimentação continuou em desaceleração. Depois de registrar inflação de 0,50% em janeiro, teve uma deflação de 0,88% na terceira leitura do fevereiro e passou para uma deflação de 0,98% no encerramento do mês - foi o item que, na variação ponderada, menos contribuiu para a inflação.

Transportes registrou novamente recuo. Saiu de uma inflação de 0,31% no primeiro mês de 2012 para uma deflação de 0,06% na terceira quadrissemana de fevereiro e fechou o mês com deflação de 0,16%. O mesmo ocorreu com o item Despesas Pessoais. Após inflação de 0,87% em janeiro, baixou para 0,45% na terceira parcial do segundo mês do ano e fechou o levantamento mensal com 0,25%.

O índice Saúde teve desempenho parecido com o da Habitação. Em janeiro, apresentou inflação de 0,40%, porcentual que avançou para 0,76% na terceira quadrissemana de fevereiro. Porém, no fechamento do mês, recuou para 0,50%. O segmento Vestuário manteve-se no campo deflacionário. De uma deflação de 0,37% no terceiro levantamento de fevereiro, encerrou o mês com uma deflação de 0,44%. Porém, em janeiro, havia sido responsável por uma inflação de 0,60%.

Por fim, o segmento Educação manteve a tendência de queda porcentual. Por conta principalmente das compras escolares, teve uma forte inflação de 6,42% em janeiro. Este índice, contudo, foi caindo drasticamente a cada semana de fevereiro. Na terceira prévia, foi de 1,57% e recuou, agora, no fechamento do mês, para 0,47%.

Veja como ficaram os itens que compõem o IPC no mês de fevereiro:

Habitação: 0,40%

Alimentação: -0,98%

Transportes: -0,16%

Despesas Pessoais: 0,25%

Saúde: 0,50%

Vestuário: -0,44%

Educação: 0,47%

Índice Geral: -0,07%

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.